“Impeachment de Andrade é uma coisa a se discutir, sim”, admite Romeu Tuma Jr.

  • Por Jovem Pan
  • 11/11/2016 11h25

Roberto de Andrade teria assinado uma ata como presidente do Corinthians antes de ser eleito

Roberto de Andrade teria assinado uma ata como presidente do Corinthians antes de ser eleito

O impeachment de Roberto de Andrade é, sim, uma possibilidade palpável. Quem garante isto é Romeu Tuma Jr, ex-deputado estadual e conselheiro vitalício do Corinthians. Autor do pedido de abertura de inquérito que investiga uma possível fraude do presidente alvinegro, Tuma concedeu entrevista exclusiva a Wanderley Nogueira e admitiu que o impedimento de Roberto de Andrade é, sim, algo a ser discutido – a entrevista, na íntegra, vai ao ar no próximo fim de semana, na Rádio Jovem Pan. 

“O impeachment é uma coisa a se discutir, sim. Eu não gosto de prejulgar as pessoas, por isso peço investigação. É caso para impeachmentTalvez seja. Mas, para isto, precisamos ter elementos jurídicos que comprovem que houve crime. E, se ficar comprovado que ele beneficiou um grupo, que todo este grupo saia do clube, também“, afirmou Romeu Tuma Jr, com exclusividade, a Wanderley Nogueira. 

Foi Romeu Tuma Jr. quem pediu a abertura de inquérito para investigar uma possível fraude do atual presidente do Corinthians. Este inquérito se baseia em uma reportagem publicada no fim de outubro pela revista Época 

A matéria mostra que Andrade assinou a lista de presença da Assembleia Geral do fundo de investimentos da Arena Corinthians, realizada em 5 de fevereiro de 2015. O problema, no entanto, é que cartola se identificou como presidente corintiano – e a eleição só aconteceu dois dias depois, em 7 de fevereiro.

O fato pode configurar falsidade ideológica – quando alguém insere uma informação falsa em um documento público ou privado. Foi isto o que motivou Tuma Jr. a ir à delegacia pedir a abertura de inquérito – a investigação já começou e deve ter fim entre 30 e 60 dias. 

Tuma quer que a polícia aja com tranquilidade. E só fala em uma possível queda de Andrade caso as irregularidades sejam comprovadas e o presidente tenha o direito de se defender. “Tem que ter paciência, cautela… E não adotar um discurso que beneficie alguém que tenha interesse de trocar a pessoa que está lá apenas para assumir o esquema. Precisamos ver o que está por trás de tudo isto”, ressaltou. 

Para pedir o impeachment de alguém, você tem de ter a comprovação de um fato e dar o direito de a pessoa se defender. O que eu estou fazendo? Pedindo que a polícia investigue e conclua se houve crime ou não. Eu não tenho nenhum problema em pedir o impeachment de alguém. Eu só acho desonesto fazer isto sem saber qual é o fato que está o motivando. Precisa ter legitimidade Prova e direito de defesa, encerrou.