Incrível Hulk: atacante faz dois golaços e Zenit vence o Valencia fora de casa

  • Por Lancepress
  • 16/09/2015 18h12
Hulk manteve sua grande fase e ajudou o Zenit a conquistar a vitória fora de casa na estreia na Champions

A fase de Hulk é espetacular. O atacante mostra a cada jogo que está completamente recuperado do fracasso com a Seleção Brasileira na copa do Mundo de 2014. Após marcar dois gols nos últimos amistosos pelo Brasil, nesta quinta-feira ele voltou a ser decisivo na vitória por 3 a 2 do Zenit sobre o Valencia, pelo Grupo H da Liga dos Campeões. Hulk fez dois belos gols, deu trabalho, dividiu e ganhou várias bolas dos adversários e deixou o campo completamente esgotado. Com a vitória, o time russo lidera a chave com três pontos, enquanto os espanhóis amargam a lanterna.

O primeiro tempo foi marcado por duas táticas diferentes. Em casa, o Valencia se lançou ao ataque jogando com intensidade pelos lados do campo. E quase deu certo. Logo aos dois minuto, João Canelo avançou pela direita, chutou e acertou a trave. Quem também se arriscou por aquele lado foi Feghouli, sem muito sucesso.

A tática do Zenit, porém, deu certo. E esta se chamava Hulk! Isso mesmo, pois o time de André Villas-Boas tinha claro em mente o que fazer na Espanha: esperar o Valencia bobear na marcação, sair no contra-ataque e acionar o brasileiro, mais aberto pelo lado esquerdo. Logo no primeiro lance, Hulk entrou na diagonal e acertou um belo chute cruzado: 1 a 0.

Após cozinhar o jogo e esperar outra falha do rival, o time russo marcou já no fim da primeira etapa. A zaga rebateu errado. Adivinha nos pés de quem? Hulk pegou o rebote e acertou uma bomba, sem chances para o goleiro Domenech.

O segundo tempo começou como era esperado. Em busca da reação em casa, o Valencia entrou com muita disposição. O técnico Nuno Espírito Santo fez logo duas substituições. Paco Alcácer e André Gomes entraram nas vagas de Piatti e Javi Fuego. Alcácer se juntou a Negredo no ataque para reforçar a linha de dois homens de frente.

O time anfitrião, com isso, encurralou o rival e diminuiu. Pela direita, João Canelo enganou o goleiro Lodygin, que esparava um cruzamento, e bateu direto para o gol, dando esperanças para a torcida no Estádio Mestalla.

Após o primeiro gol, a torcida veio com o Valencia. Que teve paciência e inteligência para furar o bloqueio russo. O Zenit, por sua vez, deixou Hulk muito isolado na frente, e manteve quase que todos os jogadores atrás da linha do meio de campo. Mas de tanto buscar o empate, aos 30 minutos o time espanhol deixou tudo igual. André Gomes fez bela jogada individual pela esquerda e bateu com força para marcar.

Mas aqueles que apostavam na virada espanhola se enganaram em menos de três minutos. O Zenit, que parecia morto, em sua primeira subida no segundo tempo fez o terceiro. Witsel recebeu na entrada da área, a marcação falhou e ele bateu no canto para fazer mais um. Silêncio no Mestalla, um balde de água fria. Os minutos finais tiveram cenas de drama para os dois lados. Hulk, muito cansado, não se aguentava em pé.

O Valencia tentou de todas as formas, e o técnico André Villas-Boas tratou de fechar a casa do Zenit com a entrada do zagueiro Luís Neto – antes já havia colocado em campo Fayzulin e Shatov para dar novo gás ao time. Final feliz para o clube russo, que deixa a Espanha com um ótimo resultado.

Gent e Lyon ficam no empate

Na Bélgica, no outro jogo pelo Grupo H da Champions League, Gent e Lyon ficaram empatados em 1 a 1. Jallet abriu o placar para os visitantes no segundo tempo, mas Milicevic deixou tudo igual. Ambas as equipes somam um ponto na chave.