Invasão, fim da fila, gol de Romarinho: os momentos marcantes da história do aniversariante Corinthians

  • Por Jovem Pan
  • 31/08/2015 19h03
BUENOS AIRES, ARGENTINA, 27-06-2012, 23h41: Futebol - Capa Libertadores da América - Boca Jr x Corinthians: Romarinho marcando gol na partida contra o Boca Juniors, no estádio La Bombonera, em Buenos Aires (Argentina). (Foto: Almeida Rocha/Folhapress, VENCER)Romarinho dá um toque sutil para marcar gol de cobertura que empatou a primeira partida da final da Libertadores de 2012

Uma história de 105 anos, como a que o Corinthians completa nesta terça-feira (1º), é composta de diversos momentos que, por mais que sejam curtos se comparados com a trajetória centenária do clube, são eternos na memória dos torcedores. Momentos como a invasão corintiana ao Maracanã, o fim da fila de 23 anos sem títulos e o primeiro título nacional.

O Jovem Pan Online convida o leitor a relembrar (ou conhecer, dependendo da idade) partes vitoriosas da história do Timão que ajudaram a construir o clube.

A invasão corintiana

Na partida de semifinal do Campeonato Brasileiro de 1976, em 5 de dezembro daquele ano, o Corinthians visitou o Fluminense no Maracanã. Junto do time, deslocaram-se, de São Paulo para o Rio de Janeiro, entre 50 mil e 70 mil fiéis alvinegros. Até hoje, este é considerado o recorde de deslocamentos de torcedores de uma equipe visitante para acompanhar uma partida de futebol. No gramado, o Timão empatou em 1 a 1 e conquistou, nas penalidades, a vaga na decisão do torneio.

O gol que acabou com a fila

Depois de ficar 23 anos sem conquistar um título de expressão, o Corinthians finalmente conseguiu sair da fila no Campeonato Paulista de 1977. O gol da vitória, na final contra a Ponte Preta, foi dramático e sofrido como a própria história do clube. Depois de confusão na área, com direito a chute no travessão e tirada de bola em cima da linha, Basílio encheu o pé, estufou as redes e garantiu o título do Timão.

A campanha no Brasileirão de 1990

O time do Corinthians em 1990 não era brilhante. Porém, era aguerrido, valente, e contava com Neto como grande craque e camisa 10. Derrotando adversários muito poderosos, como o Bahia, campeão brasileiro no ano anterior, e o São Paulo de Telê Santana, que seria bicampeão da Libertadores e do Mundial, o alvinegro forjou ainda mais a fama de “sofredor”. Foi o primeiro título nacional da história do clube, conquistado sobre um dos maiores rivais. Nas finais, foram duas vitórias: 1 a 0 no Pacaembu, com gol de Wilson Mano, e novo 1 a 0 no Morumbi, gol de Tupãzinho.

A Era Ronaldo

Um ano após a campanha vitoriosa na Série B, o Corinthians estava de volta à elite do futebol nacional. Para a nova temporada, a diretoria comandada por Andrés Sánchez anunciou seu grande trunfo: Ronaldo Fenômeno. Apesar de estar no fim da carreira e, na maior parte do tempo, fora de forma, o atacante fez a diferença e brilhou em 2009, comandando a equipe na conquista do Paulistão e da Copa do Brasil, com direito a golaços e atuações de gala.

O gol relâmpago de Romarinho

Um jovem atacante, formado nas categorias de base e até pouco tempo atrás apenas um reserva no elenco, foi o herói do Timão na primeira partida da final da Libertadores de 2012. O Boca Juniors vencia em La Bombonera até os 39 do segundo tempo. Romarinho, que acabara de entrar em campo, saiu na cara do gol e, em seu primeiro toque na bola, marcou o gol de empate. O tento facilitou a missão na partida da volta, no Pacaembu, quando o Corinthians venceu por 2 a 0 e conquistou a Libertadores pela primeira vez em sua história.

Confira as outras matérias do especial dos 105 anos de Corinthians:

Corinthians 105 anos: os ídolos que transformaram o time em “Timão”

A força da base: os craques que o Timão formou em seus 105 anos de história

Não é só alegria: as decepções e os vexames que mancharam os 105 anos de história do Corinthians

Sofrimento, paixão e redenção: os motivos pelos quais ser corintiano é algo especial