Irmãs Williams avançam e farão final de Grand Slam após 8 anos

  • Por Estadão Conteúdo
  • 26/01/2017 10h10

As irmãs Venus e Serena Williams voltam a se enfrentar numa final pela primeira vez desde 2009

Reprodução / Twitter / Australian Open As irmãs Venus e Serena Williams voltam a se enfrentar numa final pela primeira vez desde 2009

Dona de sete títulos de Grand Slam, Venus Williams passou longos oito anos sem chegar a uma final. E quis o destino que, assim como em seu último revés – e também em seu mais recente título -, sua adversária na decisão do Aberto da Austrália seja exatamente sua irmã Serena Williams. As duas passaram pela semifinal nesta quinta. Primeiro Venus precisou de três sets para vencer Coco Vandeweghe por 2 sets a 1. Depois, Serena atropelou Mirjana Lucic-Baroni por 2 a 0.

O duelo entre as irmãs, no sábado, em Melbourne, será importantíssimo para as duas. Serena terá a oportunidade de se isolar como a maior campeã de eventos de Grand Slam, com seu 23º título. Atualmente ela está empatada com Steffi Graf, ambas com 22. Além disso, é a chance de voltar à liderança do ranking mundial da WTA, ultrapassando a alemã Angelique Kerber, eliminada nas oitavas de final. Se Serena perder a decisão, aparecerá apenas 235 pontos atrás de Kerber.

Já Venus tem a oportunidade de voltar a vencer um Grand Slam depois de nove anos. O último título da veterana de 36 anos, hoje a 17ª do ranking mundial, foi conquistado em Wimbledon, em 2008, exatamente numa final contra Serena. No ano seguinte, a caçula devolveu o revés e Venus nunca mais jogou uma partida deste porte.

A final contra Serena é ainda uma oportunidade para Venus conquistar pela primeira vez o Aberto da Austrália, onde foi vencida na final de 2003 exatamente pela irmã mais nova. Se vencer, vai ganhar o 50º título dela no circuito da WTA – Serena tem 71 taças.

Se o duelo entre as irmãs pudesse ser tratado como uma “rivalidade”, seria a maior do tênis feminino na atualidade. As duas já se enfrentaram 27 vezes, sendo oito em finais de Grand Slam. Venus venceu apenas duas dessas decisões. Desde 2009, porém, elas não jogam entre si valendo um título – naquele ano, Serena venceu em Miami e em Wimbledon.

Melhor tenista da década, com sobras, Serena venceu três dos únicos quatro duelos entre elas nos anos 2010, com apenas uma vitória para Venus. No total, são 16 vitórias para a caçula e 11 para a primogênita.

Para alcançar essa final histórica, Venus penou contra a surpreendente norte-americana Coco Vandeweghe, número 35 do ranking mundial, responsável por eliminar Kerber e a espanhola Garbiñe Muguruza, sétima cabeça de chave. O duelo demorou duas horas e 25 minutos e só foi vencido por Venus no terceiro set, com parciais de 7/6 (7/3), 6/2 e 6/3.

Já Serena passou com muito mais facilidade por Lucic-Baroni, croata de 34 anos, 79ª do ranking mundial, que nunca havia chegado tão longe em um Grand Slam. O duelo entre as duas levou apenas 50 minutos, com parciais de 6/2 e 6/1.

As duas atletas derrotadas nas semifinais, porém, não têm muito do que reclamar. Vandeweghe vai entrar no Top 20 do ranking mundial, exatamente na 20ª colocação, enquanto Lucic-Baroni chegará ao 29º lugar, ganhando 50 posições de uma vez só. O ápice dela havia sido o 47º lugar. Vandeweghe nunca passou do 29º lugar.