“Jogar contra o Brasil é um dos nossos maiores desafios”, afirma Löw

  • Por Agencia EFE
  • 07/07/2014 20h55

Joachim Löw classificou o Brasil como um grande adversário

Joachim Löw fala do Brasil

O técnico da Alemanha, Joachim Löw, definiu o duelo desta terça-feira (8) contra o Brasil, pela semifinal da Copa do Mundo, como um dos seus maiores desafios de sua carreira.

“Jogar contra o Brasil é um dos nossos maiores desafios. É verdade que temos experiência nestas situações, mas cada jogo é diferente. A semifinal é um exemplo. Tem sua própria dinâmica. Jogar com o Brasil é um desafio por razões óbvias. Perdemos em algumas ocasiões anteriores em jogos oficiais, mas cada jogo é único”, afirmou o técnico, em entrevista coletiva realizada nesta segunda-feira (7), no Mineirão.

A Alemanha disputou as duas últimas semifinais em Copas, caindo diante da Itália, em 2006, e da Espanha, em 2010.

Em entrevista coletiva nesta segunda-feira, o técnico quebrou o protocolo e, antes de qualquer pergunta, fez um rápido pronunciamento sobre a lesão de Neymar.

“Sentimos muito o fato de ele estar lesionado. É algo sério para ele, para o time e o país. Teríamos adorado vê-lo no campo durante a Copa e gostaria de desejar uma rápida recuperação. Espero que volte em breve”, disse.

Löw acrescentou que o Brasil possui boas alternativas para as vagas dos titulares. O técnico também afirmou que o “fator casa” pode ajudar a equipe de Luiz Felipe Scolari.

“Dante deverá jogar, não podemos esperar que o Dante fará um jogo ruim contra a Alemanha. Ele é um excelente jogador. Tenho certeza de que vão lutar pelo Neymar, pelo país, para ter certeza de que o Brasil continue sendo favorito nas semifinais. São 200 milhões de torcedores no país, não estão jogando apenas no campo, é o país inteiro”, afirmou.

Sobre as alternativas táticas do Brasil, o técnico garantiu que não será surpreendido por Felipão.

“Eles podem reforçar o meio de campo com jogadores mais defensivos. Também podem optar por uma mudança natural a Neymar, com um jogador de características parecidas. Veremos amanhã qual será a escalação, mas também temos uma solução para qualquer eventualidade”, advertiu.

O comandante da Alemanha também não revelou seus titulares. Ele não confirmou o retorno de Per Mertesacker à zaga após sua ausência contra a França.

“Mertesacker estava machucado. Tínhamos vários jogadores gripados. Para este jogo, todos estão bem. Esta noite decidirei quem entrará em campo”, comentou.