Jonathas reitera desejo de deixar Elche, mas nega ser “mercenário”

  • Por Agência EFE
  • 22/05/2015 19h45

O atacante brasileiro Jonathas (esq.) quer sair do Elche

Jonathas

Segundo brasileiro com mais gols nesta edição do Campeonato Espanhol (com 9 gols), atrás apenas de Neymar (17), o atacante Jonathas quebrou nesta sexta-feira a “lei do silêncio” imposta pela direção do Elche e reiterou sua vontade de deixar o clube, que ocupa a 13ª posição na tabela, mas negou estar se comportando como um “mercenário”

“Me chamaram de mercenário, mas tive propostas na metade da temporada para ganhar quatro vezes mais e não saí”, disse o atacante, que acusou parte da imprensa de ter lhe colocado contra o clube e a torcida.

Jonathas declarou que é “muito feliz” no Elche e que não quer ter uma saída conturbada. “Quero deixar claro que tenho muito o que agradecer ao clube, mas não denunciei o Elche, nem quero sair de graça, nem cobrando salário de 1,5 milhão de euros”, esclareceu.

O brasileiro, no entanto, admitiu que a denúncia contra o Elche, que lhe deve três salários, “existe” porque foi apresentada por seu representante e seu advogado.

“Só me dediquei a jogar e não me preocupei com outras coisas. Se eles denunciaram, foi porque o clube não cumpriu com algo”, explicou.

O brasileiro contou que já tinha comentado ao presidente do Elche, Juan Anguix, sobre sua intenção de deixar o clube antes do jogo contra o Athletic Bilbao “porque buscava um projeto mais ambicioso” e que decidiu jogar por ele mesmo e “pelos companheiros”.

“Já lhe disse que não contasse comigo para a próxima temporada”, acrescentou o atacante, que não explicou se poderia continuar no Elche caso o clube solucionasse todas as pendências financeiras.

“Primeiro o clube tem que pensar em pagar tudo o que deve e depois podemos conversar. Meu representante quer que tudo seja regularizado e que tudo saia bem”, declarou Jonathas, que agradeceu os elogios de Diego Simeone, técnico do Atlético de Madrid, suposto interessado em sua contratação.

“Não sei nada do Atlético. Agora só quero visitar minha família no Brasil e descansar o corpo e a cabeça porque estou muito cansado, mas todo mundo gosta que um treinador como Simeone te elogie. É a recompensa por um trabalho de todo o ano”, concluiu.