Kleina elogia movimentação da equipe e destaca Valdívia: “Não foge do pau”

  • Por Jovem Pan
  • 28/03/2014 08h50
O técnico Gilson Kleina da S.E. Palmeiras em jogo contra a equipe do C.A. Bragantino durante partida válida pela quarta de final do Campeonato Paulista Série A1 no estádio Paulo Machado de Carvalho (Pacaembu). São Paulo/SP, Brasil - 27/03/2014. Foto: Cesar Greco / FotoarenaGilson Kleina aconselhou Valdívia durante a partida para não perder a cabeça

O Palmeiras foi o último time a garantir vaga nas semifinais, e enfrentará o Ituano no domingo, às 18h30 no Pacaembu, em busca de uma vaga na final do Paulistão. A classificação veio após vitória sobre o Bragantino nesta quinta-feira, por 2 a 0, com gols de Alan Kardec e Wesley.

► Confira a tabela do Campeonato Paulista

O treinador Gilson Kleina elogiou o time pela paciência e vitória consistente, apesar do jogo acirrado. “Sabíamos que seria jogo de marcação, que o adversário iria jogar por uma bola. A movimentação foi algo que conversamos muito, sabíamos que teria marcação individual, especialmente sobre o Valdívia e o Bruno César, mas eles não esperavam pelo Wesley mais solto, caindo pelos lados do campo”.

O chileno foi um capítulo a parte no jogo, e chegou a se envolver em algumas confusões, recebendo cartão amarelo. Kleina contou que não pensou em tirá-lo, mas que conversou na beira do campo para não correr o risco de perdê-lo para a próxima partida. “Ele é um jogador corajoso, não foge do pau. Ele corre atrás, luta e não desiste. Sofreu muito, saiu com o tornozelo inchado, mas é ótimo ver o quanto ele evoluiu fisicamente”.

Autor do primeiro gol, Alan Kardec também recebeu elogios do treinador: “Desde que chegou ao Palmeiras teve evolução muito grande, trabalha para isso. Gosta de fazer algo a mais, é um menino do bem, espero que continue com parceria com o Pacaembu até o final, fazendo muitos gols”.

Analisando a partida decisiva de domingo, Kleina disse que o Ituano foi um dos jogos mais difíceis da fase de classificação, além de ser um time com características diferentes do Bragantino.  Para ele, é preciso recuperar e focar nesta partida e se impor dentro do Pacaembu. “Tem que fazer de tudo para ir à final. Qualidade tem que existir, mas tem momentos de simplificar, de dar chutão e usar bola longa, mas a seriedade tem que manter sempre. Quanto mais entrosar, mais o leque de opções vai crescer, e o elenco é muito bom”.