Klinsmann anuncia convocação final e corta Donovan da Copa do Mundo

  • Por EFE
  • 23/05/2014 06h34
Donovan

Treinador da seleção norte-americana, o alemão Jurgen Klinsmann, surpreendeu com o anúncio inesperado nesta quinta-feira da lista definitiva de 23 convocados para Copa do Mundo deste ano. Klinsmann havia dito que não divulgaria o nome dos 23 selecionados até o dia 2 de junho, mas acabou surpreendendo por anunciar a lista antes do esperado e, ainda mais, por ter deixado de fora o atacante Landon Donovan, considerado o melhor de todos os tempos do futebol dos Estados Unidos.

Atualmente no Los Angeles Galaxy, o experiente, atleta de 32 anos, atuou por seu país nas últimas três edição do Mundial e detém quase todos os recordes históricos da seleção, ficando apenas com o segundo lugar no número de partidas disputadas até o momento, 156. Donovan é o maior artilheiro do time americano com 57 gols e o jogador que mais vezes esteve em campo em Copas, com 12 partidas disputadas e cinco gols.

No entanto, Klinsmann não perdoou Donovan por ter rejeitado a seleção durante o período em que esteve afastado do futebol por não se sentir suficientemente motivado para continuar jogando. Klinsmann quis deixar muito claro que não vai mudar sua filosofia, por nada do mundo, de que acima de tudo está a equipe, não os nomes.

O técnico alemão acabou preferindo optar pela juventude ao invés da experiência, ao levar o alemão de origem americana Julian Green, atacante de 18 anos do Bayern de Munique, que jogou apenas duas partidas com a seleção americana. O próprio Donovan já reagiu ao conhecer a decisão de Klinsmann e disse ter ficado “decepcionado” por não ir à Copa do Mundo do Brasil.

“Tinha muita vontade de jogar no Brasil e, como podem imaginar, estou muito decepcionado com a decisão de hoje”, escreveu o jogador em seu perfil do Facebook.

Donovan foi um dos pilares do time nacional antes de tomar a decisão de fazer uma pausa de quatro meses do futebol, depois da temporada 2012, quando passou a maior parte do tempo no Camboja.

Klinsmann “advertiu” Donovan que teria que conquistar novamente o seu espaço se quisesse voltar à seleção, algo que conseguiu durante a última edição da Copa Ouro da Concacaf, vencida pelos Estados Unidos, além das Eliminatórias do ano passado.

Mas Klinsmann o manteve fora do time titular quando os Estados Unidos enfrentaram o México em abril, ao argumentar que Donovan não tinha ido bem nos treinamentos por conta de problemas no joelho direito.

O treinador, que não comentou sobre os cortes, muito menos sobre Donovan, deve oferecer nesta sexta-feira uma entrevista coletiva e reiterou que o importante é que os jogadores escolhidos estejam convencidos de que devem dar o máximo para fazer bem as coisas.

Além de Donovan, Klinsmann também deixou de fora Joe Corona, Michael Parkhurst, Brad Evans, Claerence Goodson, Maurice Edu e Terrence Boyd, que faziam parte da lista preliminar de 30 jogadores.

Confira os 23 jogadores convocados pela seleção dos Estados Unidos:

Goleiros
Brad Guzan (Aston Villa/Inglaterra)
Tim Howard (Everton/Ingalterra)
Nick Rimando (Real Salt Lake)

Defensores
DaMarcus Beasley (Puebla/México)
Matt Besler (Sporting Kansas City)
John Brooks (Hertha Berlim/Alemanha)
Geoff Cameron (Stoke City/Inglaterra)
Timmy Chandler (Nürnberg/Alemanha)
Omar Gonzalez (Los Angeles Galaxy/EUA)
Fabian Johnson (Borussia Mönchengladbach/Alemanha)
DeAndre Yedlin (Seattle Sounders)

Meio-campistas
Kyle Beckerman (Real Salt Lake)
Alejandro Bedoya (Nantes/França)
Michael Bradley (Toronto FC/Canadá)
Brad Davis (Houston Dynamo)
Mix Diskerud (Rosenborg/Noruega)
Julian Green (Bayern de Munique/Alemanha)
Jermaine Jones (Besiktas/Turquia)
Graham Zusi (Sporting Kansas City)
Clint Dempsey (Seattle Sounders/EUA)

Atacantes
Jozy Altidore (Sunderland/Inglaterra)
Clint Dempsey (Seattle Sounders)
Aron Johannsson (AZ Alkmaar/Holanda)
Chris Wondolowski (San José Earthquakes)