“Lá Décima”, Messi x CR7 e decadência brasileira: reviva os destaques do futebol internacional em 2014

  • Por Jovem Pan
  • 29/12/2014 10h14
Montagem_retrospectiva_futebolinternacional

O futebol internacional ficou marcado pela superioridade do Real Madrid, que fez uma temporada histórica. Em maio, o time merengue conquistou a tão sonhada décima taça da Liga dos Campeões da Europa e, em dezembro, faturou o quarto título Mundial de sua história. Entre os craques, seguiu a disputa acirrada de Cristiano Ronaldo e Messi. Assim como na Copa do Mundo, os brasileiros decepcionaram e a maioria ficou longe do protagonismo esperado.

Praticamente um ano após a chegada de Ancelotti, o Real Madrid se estruturou como equipe e não deu chance aos adversários. Na Liga dos Campeões. Antes da final, encarou três alemães. Depois de massacrar o Schalke 04 nas oitavas e passar pelo Borussia com tranquilidade, o adversário da semifinal era o temido Bayern de Munique. Na ida, 1 a 0 para os merengues na Espanha. Na volta, show de Cristiano Ronaldo e goleada história sobre os atuais campeões em plena Allianz Arena. Na grande decisão, diante do rival Atlético de Madrid, Sérgio Ramos empatou a partida nos minutos finais e o Real se superou na prorrogação, fechando o placar com vitória por 4 a 1 e conquistando a “La Décima”.

Se a hegemonia da Europa mudou de Munique para Madrid, o que não se alterou foram os protagonistas da bola no velho continente. Messi e Cristiano Ronaldo seguem destruidores. O argentino, embalado pelo vice na Copa do Mundo, quebrou duas marcas históricas em 2014, superando Telmo Zara e Raul para se tornar o maior artilheiro da história do Campeonato Espanhol e da Liga dos Campeões. O gajo, por sua vez, igualou Raul e é, por enquanto, o segundo maior artilheiro da competição continental. Brigando gol a gol, título a título e recorde a recorde, os dois disputarão a Bola de Ouro de melhor jogador em janeiro. O goleiro alemão Neuer é o único que pode despolarizar o prêmio e superar a dupla.

O ano também foi marcado por grandes contratações, principalmente no período pós-Copa. De novo, Real Madrid e Barça estiveram no topo. O time merengue reforçou sua equipe com Toni Kross e James Rodriguez, revelação colombiana no Mundial. Os catalães tiraram Luis Suárez da Inglaterra para formar trio de ataque com Neymar e Messi. Buscando uma reformulação pós-Ferguson, o Manchester United abriu os cofres trazendo o técnico Louis Van Gaal e nomes de peso como Dí Maria e Falcao Garcia. Liverpool com Balotelli e Chelsea com Diego Costa também figuraram entre os maiores reforços do ano. O Bayern de Guardiola tornou seu elenco ainda mais poderoso com Xabi Alonso e Robert Lewandowsk.

Assim como na América do Sul (sem brasileiros campeões nas competições continentais) e na Copa do Mundo (queda histórica na semifinal por 7 a 1 para a Alemanha), o Brasil não teve seus atletas como protagonistas no cenário internacional de clubes. Com exceção de Neymar e Marcelo, que estão consolidados em suas respectivas equipes, alguns brasileiros perderam espaço no pós-Copa. Paulinho vive má fase no Tottenham, Fernandinho não é nome certo nas escalações do Manchester City e Bernard desapontou na Ucrânia. Júlio César é uma incógnita na meta do Benfica e nomes como Luiz Gustavo e Hulk, titulares absolutos no Mundial 2014, não vêm ganhando tanto destaque internacional como outrora. Recado de 2014 é para que o futebol brasileiro se renove e volte a figurar entre os protagonistas.