Lais Souza ganha camisa da Seleção e disputa a “maior competição” de sua vida

  • Por Jovem Pan
  • 05/09/2014 19h43

A esquiadora Lais Souza foi presenteada com uma camisa autografada da Seleção Brasileira

Lais Souza recebe homenagem da Confederação Brasileira de Futebol

Depois de ser vítima de um acidente grave no começo do ano, a esquiadora Lais Souza foi presenteada pelo coordenador de Seleções da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Gilmar Rinaldi, com uma camisa autografada do Brasil.

Nesta sexta-feira (5), quando a Seleção Brasileira mede forças com a Colômbia, em Miami, Lais Souza vai entrar em campo no Sun Life Stadium, ao lado do presidente do Miami Project para ser homenageada e também para servir de exemplo para que as pessoas doem recursos para tratar problemas semelhantes.

“Quero dizer em nome da CBF, em nome do presidente Marin e do vice-presidente Marco Polo, que estamos todos orgulhosos de ver médicos brasileiros envolvidos na sua recuperação. Esta camisa é um presente singelo, enviado pelos jogadores, mas que representa também a força e o desejo de todos os eles para que você fique completamente recuperada”, disse Rinaldi à atleta.

No último mês de janeiro, durante preparação para a disputa dos Jogos de Inverno na Rússia, a esquiadora Lais Souza sofreu um grave acidente, lesionou a coluna cervical e ficou entre a vida e a morte. A brasileira foi internada em um hospital em Miami e ficou sob cuidados de médicos especializados em tratar traumas graves na coluna, entre eles o brasileiro Antônio Marttos, que está há dez anos trabalhando no Jackson Memorial Hospital e no Centro de Pesquisa para Cura da Paralisia (The Miami Project to Cure Paralysis).

“Ela já está falando, o que é um enorme progresso. Agora, falta recuperar os movimentos, no caso dela, o que quer primeiro, é o das mãos, para poder se pentear e até ajeitar o cabelo, como é próprio de qualquer jovem”, declarou Marrtos.

Para Lais Souza, a situação pela qual vem passando é um grande desafio a ser superado. “Posso me considerar uma pessoa privilegiada, pelo atendimento que estou recebendo. Às vezes sinto dor, mas também é como se tudo isso fosse uma competição, em que tenho de superar vários obstáculos. Com certeza, essa é a maior competição da minha vida”, frisou a esquiadora.