Leandro revela que Palmeiras adiou cirurgia e crê em críticas injustas

  • Por Lancepress
  • 04/08/2015 15h43

No amistoso contra a FiorentinaLeandro treina com o Palmeiras

Além de ter sido pouco aproveitado no Palmeiras neste ano, o atacante Leandro, que foi apresentado no Santos nesta terça-feira, revelou outro incômodo. Com uma lesão no quinto metatarso do pé esquerdo desde novembro do ano passado, o jogador afirmou que perdeu tempo devido à uma decisão do departamento médico do Palmeiras.

Segundo o novo camisa 7 do Peixe, os médicos do Verdão afirmaram que ele não precisaria de uma cirurgia no pé esquerdo em 2014. Já em janeiro de 2015, a decisão foi contrária e ele teve que ser operado. “A lesão me atrapalhou bastante. Constataram a lesão em novembro, foi conversado com o departamento médico e eles decidiram que eu não iria operar. Quando voltei em janeiro, fiz outro exame e eles decidiram operar. Perdi dois meses e poderia ter voltado bem já nesse ano. Mas faz parte, serve de aprendizado. Estou bem e recuperado agora”, disse o atacante.

Depois de ter sido comprado pelo Palmeiras por cerca de R$ 8 milhões (valor referente a 64% de seus direitos econômicos) e de ter sido convocado para a Seleção Brasileira, Leandro ouviu críticas de parte da torcida por atuações abaixo do que estava acostumado a apresentar.

Na opinião do jogador, algumas dessas críticas foram injustas, principalmente as que diziam respeito de sua motivação. “No ano de 2014 eu fui muito cobrado pelo que fiz em 2013. Não só eu fui abaixo do rendimento, foi o time todo. Brigamos para não cair. Fui cobrado pelo destaque que tive. Fico feliz pela cobrança, porque sabiam que eu tinha potencial, mas infelizmente o time não foi bem. Agora é uma oportunidade para mostrar meu valor”, analisou.

“Eu via muitas pessoas dizerem que eu não tinha vontade. Essa parte é injusta. Ninguém entra em campo sem vontade, entram para vencer. Quando não vai bem, faz parte, mas creio que essa parte da falta de vontade seja injusta, sempre entrei dando meu máximo”, afirmou.