Lenda do rúgbi neozelandês, Jonah Lomu morre aos 40 anos

  • Por Agência EFE
  • 18/11/2015 07h41
Lomu vestiu a camisa dos "All Blacks" em 63 ocasiões entre 1994 e 2002

O lendário jogador de rúgbi da seleção neozelandesa, Jonah Lomu, considerado um dos melhores jogadores da história do esporte, morreu nesta quarta-feira (18) na Nova Zelândia aos 40 anos, informou a imprensa local.

Lomu, que vestiu a camisa dos “All Blacks” em 63 ocasiões entre 1994 e 2002, passou a sofrer com problemas renais quando ainda estava na ativa e teve que passar por um transplante de rim em 2004.

O médico da seleção neozelandesa, John Mayhew, confirmou a morte do ex-jogador em sua casa em Auckland, onde tinha acabado de chegar após passar várias semanas no Reino Unido para acompanhar a disputa da Copa do Mundo de Rúgbi, além de alguns dias de férias em Dubai.

“Foi totalmente inesperado. Jonah e sua família chegaram ontem à noite e ele morreu repentinamente na manhã de hoje”, disse Mayhew, segundo a emissora de televisão “TVNZ”.

O médico não indicou nenhuma causa possível para a morte do ex-jogador, que durante os últimos dez anos teve que se submeter a tratamentos de diálises.

Lomu brilhou no Mundial de 1995, poucos meses após estrear pelos “All Blacks”, quando tinha apenas 19 anos, e se tornou o jogador mais jovem a fazê-lo em 90 anos. Sua atuação contribuiu para popularizar o rúgbi em nível internacional.

Naquele campeonato, que a Nova Zelândia perdeu a final para a anfitriã África do Sul, Lomu anotou sete tries, incluído um contra a Inglaterra que foi escolhido como o melhor na história das Copas do Mundo.

No total, Lomu marcou 15 tries nos Mundiais de rúgbi, o melhor registro da história até que foi igualado na edição deste ano pelo sul-africano Bryan Habana.