Líder da delegação dos EUA diminui importância de temor sobre segurança

  • Por Agencia EFE
  • 09/02/2014 20h02

Washington, 9 fev (EFE).- A ex-secretária de Segurança Nacional dos EUA, Janet Napolitano, que lidera a delegação americana dos Jogos Olímpicos de Inverno em Sochi, disse neste domingo estar satisfeita com as medidas de segurança.

“O nível de segurança é bastante apropriado e muito bom e espero que os meios de comunicação e o mundo em geral se concentram agora no que vão fazer os atletas ao invés das ameaças que estão ocorrendo”, afirmou Napolitano à rede de televisão “CNN”.

Napolitano, presidente agora da Universidade da Califórnia, disse que a ausência do presidente Barack Obama e outros altos funcionários americanos não é um desprezo ao líder russo Vladimir Putin e acrescentou que as leis russas não tiveram um impacto direto nos Jogos. “Não vi nenhum sinal de isso”.

Por sua vez, o embaixador americano na Rússia, Michael McFaul, disse à rede de televisão “NBC” que Washington está “bastante satisfeito com a segurança dos jogos”.

McFaul afirmou que a delegação americana está desfrutando de sua estadia em Sochi. “Há ambiente muito bom. A equipe americana se sente muito confiante”.

Os meios de comunicação americanos se concentraram nas ameaças de segurança, assim como nas deficientes instalações hoteleiras.

Dois legisladores republicanos expressaram hoje sua preocupação sobre a segurança em Sochi. “Não vi uma ameaça maior em minha vida”, disse o presidente do Comitê de Segurança Nacional da Câmara dos Representantes, Michael McCaul, ao canal “Fox News”.

“Acho que há uma grande probabilidade que algo aconteça, embora que o mais provável é que ocorra fora do cordão de segurança de aço da Vila Olímpica”, disse.

Peter King, um republicano de Nova York membro dos Comitês de Inteligência e Segurança da Câmara dos Representantes lamentou, em diálogo com CBS, que a Rússia não compartilhe informação de segurança.

O presidente Obama incluiu dois atletas gay na delegação americana em sinal de protesto por certas leis de Moscou.

“Acho que o presidente Obama foi muito claro sobre a posição dos EUA no tema de direitos humanos, liberdade de expressão, tolerância e diversidade. Essas são coisas que apreciamos nos EUA e uma área na qual temos desacordos com a Rússia”, disse Napolitano.

A Rússia desdobrou cerca de 70 mil agentes de segurança em Sochi e Putin se referiu a essas medidas como um “cordão de aço”.

Os Estados Unidos estabeleceram um centro de comando em Sochi com cerca de 150 agentes de segurança do FBI, o Departamento de Estado e o Departamento de Segurança Nacional.

Washington emitiu na sexta-feira um novo alerta para os americanos que viajarem para Sochi.

O alerta, que expira em 24 de março, responde às novas ameaças terroristas sobre o evento.

O Departamento de Estado dos EUA inclui nesta ocasião as últimas novidades de segurança aérea em relação com os Jogos, com a proibição das autoridades russas e americanas de levar qualquer tipo de líquidos na bagagem de mão dos voos com destino a lugares próximos à competição.

A guerrilha islamita do Cáucaso e outros grupos extremistas ameaçam há meses sabotar os Jogos, mensagens que se intensificaram com a aproximação da reunião olímpica.

Os Estados Unidos ofereceram sua colaboração à Rússia, sobretudo depois que dois atentados suicidas mataram 30 pessoas no final de ano em Volgogrado, também no sul do país. EFE