Líder do Bom Senso FC, Paulo André não descarta greve dos jogadores

  • Por Jovem Pan
  • 07/01/2014 16h13

O zagueiro do CorinthiansPaulo André concede entrevista coletiva

Um dos principais líderes do movimento Bom Senso FC, que reivindica melhorias nas condições de trabalho dos jogadores do futebol brasileiro, Paulo André deu mais uma declaração sobre a situação do esporte no país. Em entrevista coletiva concedida nesta terça-feira (7), o zagueiro do Corinthians deixou claro que uma paralisação no trabalho dos atletas pode ser feita.

“É mais do que possível (greve), não está nada descartada e, na minha opinião, é a única medida viável para que as pessoas que comandam o futebol façam algo sobre as reivindicações. A gente lamenta o desprezo e a falta de preocupação delas com o futebol brasileiro, que está jogado às traças”, disse Paulo André.

O defensor do time de Parque São Jorge também teceu comentários em relação ao caso Héverton, que acabou rebaixando a Portuguesa para a Série B do Campeonato Brasileiro e salvando o Fluminense do descenso. Apesar de Paulo André ter frisado que o movimento Bom Senso FC não tem um posicionamento oficial sobre o chamado tapetão, ele declarou que o episódio também é culpa da forma como o futebol é gerido.

“Eu acho que a desorganização do campeonato era tão grande que aconteceu algo tão ridículo. Em campeonato de escola, de clube, o mesário não deixa jogador suspenso jogar. A CBF tem uma pessoa para isso, o delegado do jogo. É fruto da desorganização, mas agora já foi. Se tiver virada de mesa então, vai ficar mais explícito ainda”, falou.

Antes do início do Campeonato Paulista, o Bom Senso FC deve divulgar novas formas de manifestações e, dependendo do caso, como Paulo André deu indícios, uma greve dos atletas nos estaduais pode ser realizada.