Líderes religiosos enviarão mensagens contra o racismo durante a Copa

  • Por Agencia EFE
  • 09/03/2014 14h03
Dilma entregou camisa da Seleção Brasileira ao Papa Francisco

A presidente Dilma Rousseff afirmou neste domingo que está convidando líderes religiosos de todo o mundo para que se manifestem contra o racismo durante a Copa do Mundo, que acontece entre junho e julho.

“Estou convidando líderes religiosos do mundo a enviarem manifestações contra o racismo e pela paz, para serem lidas durante a #CopaDasCopas”, disse a chefe de Estado em mensagem em sua conta no Twitter.

A presidente informou após sua visita ao Vaticano em fevereiro que o papa Francisco já aceitou gravar uma mensagem para sua emissão durante o maior evento futebolístico do mundo.

Dilma condenou os dois últimos casos de racismo nos estádios, do qual foram vítimas nesta semana o Arouca, do Santos, e o árbitro gaúcho Márcio Chagas e afirmou que após esses episódios “o futebol brasileiro foi manchado”.

“É inadmissível que o Brasil, a maior nação negra fora da África, conviva com cenas de racismo”, assegurou a governante, que transmitiu sua solidariedade e a de todos os brasileiros a Arouca e a Chagas.

O volante Arouca foi alvo de insultos racistas na noite de quinta-feira no final da partida em que o Santos, venceu o Mogi Mirim, com um gol do jogador, pelo Campeonato Paulista, o torneio regional mais importante do Brasil.

O meio-campo, que disse ter orgulho de suas origens africanas, afirmou que o agressor sugeriu que ele procurasse alguma seleção da África e deu a entender que os negros não podem jogar na seleção brasileira.

Por sua vez, na quarta-feira passada, o árbitro Marcio Chagas, também negro, foi várias vezes tachado de “macaco imundo” quando apitava a partida entre o Esportivo e o Veranópolis pelo campeonato gaúcho em Bento Gonçalves.

Após o jogo, alguns torcedores danificaram o carro do juiz, que estava estacionado próximo ao estádio, e no qual deixaram várias bananas.

“Vamos enfrentar o racismo! Acertei com a ONU e a Fifa que a nossa #CopaDasCopas, também será a #Copa pela Paz e a #CopaContraORacismo”, disse Dilma.

Essa é a segunda vez que a presidente se manifesta contra o racismo em menos de um mês. Em fevereiro, o volante Tinga, do Cruzeiro, foi alvo de insultos racistas no Peru durante um partido da Taça Libertadores contra o Real Garcilaso.