Liga Nescau traz inclusão e cidadania por meio do esporte para mais de 12 mil crianças e adolescentes

  • Por Jovem Pan
  • 03/01/2020 14h03
Reserva Filmes

O Centro Paralímpico Brasileiro (CPB), em São Paulo, abriu as portas disposto a revolucionar o conceito de inclusão que se conhece hoje. Dessa vez, não foram as minorias que conseguiram um pequeno espaço no espaço de atletas sem deficiência. Foi a vez dos paratletas abrirem sua casa para receber crianças e jovens sem deficiência em um evento marcado pela inclusão e valores do esporte.

A etapa de São Paulo da Liga NESCAU® 2019 recebeu mais de 4 mil crianças e jovens – sendo mil com algum tipo de limitação –  para competir lado a lado em um ambiente de total inclusão.

“Essa convivência é o grande valor por trás. Crianças que não têm a oportunidade verem outras crianças com deficiência praticarem o esporte no mesmo espaço, baterem um papo, vendo o valor acontecer ali, de superação, disciplina”, afirmou Abner Bezerra, gerente de Marketing Nescau.

Os atletas dividiram a mesma piscina, pista de atletismo, quadras de basquete, vôlei, futsal, tênis de mesa, circuito de skate, enfim, não existia distinção. Com as arquibancadas lotadas por familiares e amigos, sempre que um paratleta entrava para

participar, o ambiente acolhia e incentivava como uma só família.

Rafael Miotto, de 8 anos, que nasceu com mielomeningocele, por exemplo, entrou na pista para participar de uma bateria com outras crianças sem limitações e não se abalou. Mostrou toda sua força, ultrapassou a linha de chegada e foi ovacionado pela galera nas arquibancadas.

Em conversa com a reportagem da Jovem Pan, Robson Miotto, pai de Rafael, contou que o filho praticamente não dormiu na noite anterior ansioso para participar da competição. Além do atletismo, o jovem ainda participou dos eventos de tênis de mesa e vôlei sentado, mostrando ser um atleta multidisciplinar.

“A gente quer ver o impacto disso aqui muito para o futuro. O objetivo que a gente tem é ajudar a construir uma geração de crianças melhores para o mundo através do esporte”, contou Abner Bezerra.

Liga NESCAU®

A Liga NESCAU® está em sua quinta edição. São 19 modalidades, com mais de 12.300 atletas entre 10 e 16 anos na disputa. Além do primeiro dia de evento, em São Paulo, a edição também será realizada em Recife e Porto Alegre. É o maior campeonato estudantil do Brasil.

O ano de 2019 traz outras quatro novas competições para agregar cada vez mais participantes. Surfe, skate, bocha adaptada e ginástica adaptada são as novidades.

O evento cresce a cada ano. Em 2017, por exemplo, eram cinco modalidades. No ano seguinte, em 2018, esse número cresceu para 15 – sendo seis opções de paradesporto. Na atual edição, são 19 esportes, com chance de crescer nos próximos anos.

Entre os esportes convencionais, além de futsal, vôlei, basquete, handebol, atletismo, ginástica artística, natação, tênis de mesa e judô, a inclusão de surfe e skate agregam um toque de radicalidade e modernidade. Nas paradesportivas, ginástica e bocha também entram na programação, ao lado de atletismo, basquete em cadeira de rodas, tênis de mesa, vôlei sentado, natação e judô.

Embaixadores

Verônica Hipólito é uma das embaixadoras da Liga NESCAU® 2019 e tem na superação um dos principais valores de sua trajetória. Campeã mundial, para-panamericana e medalhista paraolímpica, a atleta já superou mais de 200 tumores, um AVC, três cirurgias na cabeça, inclusive uma ano passado, e a retirada de 90% do intestino.

“Apesar de todos os problemas e nas voltas ao hospital que eu tive que ter, eu sempre me foquei na solução. Todo mundo aqui tem problema. A questão é: você é um problema ou uma solução?”, refletiu.

Referência brasileira no mundo do atletismo paraolímpico, Verônica foi a primeira embaixadora a chegar ainda pela manhã e ganhou todo o carinho das crianças. A atleta foi cercada assim que colocou o pé na pista de atletismo, conversou e tirou fotos ao lado de jovens competidores.

“A Liga NESCAU® mostra que o esporte é para todo mundo. Sendo você alto, baixo, gordo, magro, com mão, sem mão, cadeirante ou andante”, afirmou Verônica.

Tandara, jogadora da seleção feminina de vôlei, esteve em seu primeiro ano como embaixadora da Liga NESCAU®. Marcada por sua força e coragem dentro e fora de quadra para sempre encarar de frente os desafios, a atleta ressaltou a importância de crianças com deficiência e sem estarem participando em conjunto, sem distinção.

“Eu acredito que (o mais importante) é a inclusão da pessoa com deficiência e a pessoa que não tem. Trazendo os dois para um centro paralímpico. Acho que isso é o mais importante. Fico muito honrada em participar da Liga Nescau, é meu primeiro ano como embaixadora.

Tandara se juntou a algumas crianças na quadra de vôlei sentado e proporcionou a possibilidade dos atletas mirins com e sem deficiência tocarem bola com uma atleta consagrada. Acostumada a saltar e encarar bloqueios enormes, a campeã olímpica sentiu na pele como é disputar o esporte que tanto ama com a movimentação limitada.

“É muito difícil. Estava falando da dificuldade da movimentação sentada, sem poder levantar, bloquear. É bem mais difícil. Se eu achava que o vôlei na quadra era difícil, aqui é muito pior”, afirmou.

Parceria além do evento

A Jovem Pan já é parceira da Liga NESCAU® desde 2017 e vem estreitando laços defendendo os valores do esporte e da inclusão. Abner Bezerra, gerente de Marketing da Nescau, ressaltou a importância dessa parceria.

“Em 2017, a Jovem Pan nos procurou para dizer: ‘olha que legal, a gente tinha um movimento parecido com esse, vocês já têm esse, vamos juntar força e amplificar’. Aí surgiu a Copa Nescau Jovem Pan, que foi um super sucesso. É um veículo que já tem o DNA esportivo, tem uma liderança que aposta e de coração está engajada com o nosso propósito. Desde o Tutinha, o Marcelo, Wanderley Nogueira, todo mundo lá tem um carinho especial por esse tipo de projeto”.