“Longe de casa”, campeão marroquino quer unir país no Mundial de Clubes

  • Por Agencia EFE
  • 06/12/2014 16h29

Fatima Zohra Bouaziz.

Rabat, 6 dez (EFE).- Anfitrião do Campeonato Mundial de Clubes da Fifa, o Moghreb Tétouan tentará repetir o feito do ano passado do Raja Casablanca, finalista da competição, apesar de não jogar efetivamente em casa, o que não assusta o presidente do clube, Abdelmalek Abroun.

“Neste torneio não representamos só o norte do Marrocos mas a todo o país”, afirmou o dirigente, em entrevista exclusiva à Agência Efe.

Campeão marroquino, por isso garantido para participar pela primeira vez do torneio, o clube é da cidade de Tétouan, que fica a mais de 250 quilômetros de Rabat. Lá, o MAT, como também é conhecido, pega o Auckland City, da Nova Zelândia, na quarta-feira.

Se avançar, o Moghreb Tétouan ficará na mesma cidade, onde terá que jogar no próximo sábado contra o ES Sétif, da Argélia, campeão africano, pelas quartas de final.

Nas semifinais, o caminho aponta para um duelo com o San Lorenzo, da Argentina, detentor do título da Libetadores. O jogo está marcado para Marrakech, que está a quase 600 quilômetros de Tétouan. A final, acontecerá na mesma cidade.

Para tentar ficar mais a vontade, o presidente do clube vem convidando não só os torcedores do MAT, mas os de todo o Marrocos, para assistir os jogos pela competição. A federação do país reservou 16 mil ingressos para cidadãos nascidos no país-sede. Independente de tudo isso, Abroun já considera o clube vencedor.

“Somos uma equipe afortunada de poder estar entre os sete finalistas entre mais de 300”, garantiu o dirigente à Efe.

O Moghreb Tétouan conquistou o Campeonato Marroquino pela primeira vez em 2012, e voltou a repetir o feito nesta temporada. Para tentar surpreender, o elenco entraria neste sábado em regime total de concentração, em Skhirat, cidade ao sul de Rabat.

Esta é a segunda vez que o Mundial acontecerá no país africano. Na edição de estreia, no ano passado, o Raja Casablanca também estreou na fase preliminar, vencendo o Auckland City por 2 a 1, superou o Monterrey, do México, por 2 a 1 na prorrogação.

Depois, o grande feito do time marroquino foi vencer o Atlético Mineiro, de Ronaldinho Gaúco, Victor e Diego Tardelli por 3 a 1. Na decisão, o Bayern de Munique, da Alemanha, foi quem levou a melhor sobre o Raja, vencendo com facilidade por 2 a 0. EFE

fzb/bg