Lucão encara vaias com naturalidade e considera vaga na Libertadores um título

  • Por Jovem Pan
  • 22/12/2015 15h18
SÃO PAULO, SP - 04.12.2015: TREINO SPFC - Lucão durante treino do SPFC, realizada no CCT Barra Funda, na zona Oeste de São Paulo. (Foto: Maurício Rummens /Fotoarena/Folhapress) ORG XMIT: 1041460Lucão lembrou que ídolos do São Paulo

Apesar da conquista na vaga para a primeira fase da Libertadores de 2016, a chamada pré-Libertadores, o ano de 2015 não foi fácil para o São Paulo. Para o zagueiro Lucão também não. Vaiado pela torcida, o jovem revelado nas categorias de base do clube e nome frequente na Seleção Brasileira olímpica, sonha com um ano melhor e comentou a cobrança que vem sofrendo por parte dos torcedores em entrevista à Rádio Jovem Pan.

“Foi um ano turbulento. Eu acho que para nós (a vaga na Libertadores) teve um gosto de título, porque tivemos altos e baixos, tudo tem uma certa influência. No final tudo deu muito certo, a gente pode conseguir a vaga para a pré-Libertadores, que vai ser importante para o ano de 2016, um ano longo, e uma das competições mais importantes da América. A gente sabia que não podia ficar fora dessa. O ano foi turbulento, sim, mas conseguimos dar a volta por cima e deixar algo para 2016”, analisou Lucão.

O jogador encara com naturalidade as vaias recebidas durante a partida contra o Figueirense no Morumbi, na penúltima rodada do Campeonato Brasileiro. “Acho que no meio do futebol é uma coisa normal, porque o torcedor vive por paixão. Se no momento a equipe não está bem, se não apresenta um bom futebol, a torcida quer cobrar, e ela está no direito dela. Quando eu fui vaiado, eu até chorei, mas o motivo do choro não foram as vaias, porque a torcida já vaiou Luís Fabiano, Kaká, vários jogadores que já deram a volta por cima e hoje são ídolos. O choro foi pela entrega da equipe, pela forma com que nós ganhamos aquele jogo, e o apoio de todos os meus companheiros foi o que mais me emocionou”, disse o zagueiro.

Ainda sobre críticas da torcida, Lucão rebateu quem fala que os jogadores revelados pela base do São Paulo, em Cotia, não têm “fome de bola”. “Eu discordo, porque, assim como eu, tantos outros jogadores da base sobem com desejo e com gana de querer vencer na vida e se tornar um jogador profissional, de ter conquistas e dar alegrias ao torcedor do São Paulo. O torcedor não deveria pensar dessa forma, porque quando nós entramos em campo a nossa vontade é sempre vencer. Mas tem dias que é difícil. O torcedor vai agir pela paixão, pelo momento. Cotia tem revelado vários jogadores, tem feito um bom trabalho, eu espero que isso possa continuar e que a gente possa ver vários outros jogadores subindo da base e conquistando títulos pelo São Paulo”, afirmou.

Por fim, Lucão falou sobre seus planos para o futuro. “O meu foco é totalmente no São Paulo agora. Espero sim poder fazer história no São Paulo, ganhar títulos. Todo jogador sonha em jogar na Europa, e comigo não é diferente, mas acho que tudo tem seu tempo certo para acontecer. Meu foco é no São Paulo”, reiterou o atleta.