Lucas di Grassi elogia Fórmula E e critica Nelsinho Piquet: “tem reclamado muito”

  • Por Jovem Pan
  • 16/05/2015 18h47
Lucas di Grassi posa com seus três troféus conquistados em etapas da Fórmula E

O piloto brasileiro Lucas di Grassi, da Audi, vem fazendo bonito na Fórmula-E. Com sete etapas disputadas e quatro restando para o fim da temporada, ele lidera a competição com 93 pontos, contra 89 de Nelsinho Piquet e 83 de Sébastien Buemi. Em entrevista à Rádio Jovem Pan, di Grassi falou sobre o sucesso da categoria, que está em sua primeira edição.

“A Fórmula-E tem me surpreendido positivamente. Atraiu grandes nomes, grandes equipes, e grandes pistas, incluindo a de Monaco. A grande surpresa foi o público, que tem lotado as arquibancadas de todas as corridas, com 20, 30 mil pessoas. O pessoal está gostando das corridas, de uma forma geral. Dá para melhorar muito, e a Fórmula E tem um futuro brilhante”, disse o piloto.

Apesar da vantagem, Lucas acha cedo para pensar em administrar seu lugar na ponta da tabela. “Há 100 pontos em disputa, e eu tenho 93. Se alguém vencer duas ou três corridas pode surpreender. Nas últimas, a disputa foi entre os mesmos pilotos. O foco é na vitória, não é ainda em administrar o campeonato, porque a diferença é muito pequena para ter uma margem para administra”, ponderou.

Di Grassi também falou da polêmica com o também brasileiro Nelsinho Piquet, que o acusou de fazer tráfego na última corrida. “Não aconteceu nada, simplesmente negaram a reclamação dele. O Nelsinho tem falado muito, reclamado muito, sem motivo. No meu ponto de vista não há o que fazer sobre isso. Acho que ele ficou frustrado de não estar na primeira fila. Ele está brigando pelo título e o que puder fazer para prejudicar os outros pilotos, ele vai fazer”, disparou o piloto.

Por fim, o líder da Fórmula E comentou a crise vivida pela Fórmula 1, principal categoria do automobilismo mundial. “Acho que errou ao tentar seguir um caminho de relevância comercial, então perdeu a conexão entre o desenvolvimento tecnológico no carro e o quanto isso pode passar para o carro de rua. Ainda é a melhor categoria, mas perderam muita força, as equipes têm problemas financeiros. Precisamos que a F-1 volte a ser saudável financeiramente, mas acho que isso não vai acontecer a curto prazo. É preciso trocar quem está no controle”, disse Lucas di Grassi.

A próxima etapa da Fórmula E acontece no dia 30 de maio, em Berlim, na Alemanha.