Luizão esclarece negociação de Rodrigo Caio com o Valencia: “o jogador não quis”

  • Por Jovem Pan
  • 06/09/2015 15h46
SÃO PAULO, SP, BRASIL, 05-12-2011: Futebol: o ex-jogador Luizão chega para o prêmio "Bola de Prata 2011", realizado no Museu do Futebol, em São Paulo (SP). (Foto: Bruno Poletti/Frame/Folhapres)Luizão atuou como representante do empresário Jorge Mendes na negociação entre Rodrigo Caio e Valencia

O ex-atacante Luizão tem um currículo vitorioso, com diversos títulos e passagens pelos quatro grandes clubes de São Paulo. Além disso, defendeu a Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 2002 junto com Vampeta, com quem divide histórias. Algumas dessas histórias foram compartilhadas em entrevista à Rádio Jovem Pan neste domingo (6). Além disso, ele falou sobre a negociação fracassada de Rodrigo Caio, do São Paulo, com o Valencia, da qual participou como empresário.

“A gente trouxe para o Rodrigo Caio a proposta do Valencia de 20 milhões de euros. Explicamos tudo para ele, como chegar lá, falar com o dono do clube, que é quem manda. O Rodrigo fez os exames, não se deu bem com o médico, ficou p*** com o médico, ficou p*** com o presidente, mas mesmo assim o dono do Valencia disse que, se o Rodrigo quisesse ficar no Valencia, ele ficaria, era só assinar o contrato. Aí o Rodrigo Caio disse que não se sentiu bem e que não queria ficar. Foi isso. Foi opção dele, não foi opção da gente”, disse Luizão. Ele desmentiu a história de que o volante tricolor iria receber apenas 7 mil euros por mês na Espanha.

“Para explicar para todo mundo, na Espanha os times pagam de dois em dois meses, de três em três meses… O Valencia dá uma ajuda de custo mensal e paga o salário de seis em seis meses. Eu tenho minha consciência tranquila, tenho todos os documentos. Não teve nada disso que o repórter da ESPN falou que o Rodrigo ia ter um salário de 7 mil euros. Eram 15 mil euros por mês, descontado imposto, mas o Valencia daria um adiantamento de 200 mil euros para o Rodrigo ficar até o fim do ano, e ainda ia pegar 10% do passe dele”, explicou.

Falando de assuntos mais leves, Vampeta lembrou uma história com Luizão quando ambos estavam na Seleção Brasileira. “O Brasil foi campeão do mundo em 2002 e fomos fazer uma festa em Tóquio para comemorar. Estava eu, Kleberson e Gilberto Silva tomando uma cachacinha. Fomos campeões, pô! Acho que até o Kaká que é evangélico deve ter tomado um gelo. Aí aparece o Luizão falando: ‘vocês foram campeões do mundo e vão ficar tomando cachaça?’. Ele pegou um litro champanhe, o mais caro que tinha. Ele atravessou o salão e deixou a garrafa cair no chão. Continuou andando e disse: ‘faz de conta que não foi a gente’ (risos)”, contou o Velho Vamp.

Sobre o futebol na prática, Luizão lamentou a falta de centroavantes bons no futebol brasileiro. “Você vai ver um jogo do sub-11, onde meu moleque joga, já não tem centroavante, colocam dois jogadores rápidos na frente. Acho que o Brasil, na base principalmente, tinha que ter o ponta direita, o ponta esquerda e o centroavante, o meia. E quando eles chegassem em cima fazia eles se adaptarem. Não tem um 9 no Brasil”, analisou.