Lyoto admite doping, se recusa a fazer exame e tem luta cancelada pelo UFC

  • Por Agência Estado
  • 13/04/2016 19h35

Lyoto Machida recebeu suspensão médica após ser nocauteado pelo cubano Yoel Romero

Lyoto Machida

Depois de Anderson Silva, mais um astro brasileiro do MMA está envolvido em escândalo de doping. Nesta quarta-feira, a organização do UFC anunciou que Lyoto Machida declarou uso de uma substância proibida ao ser procurado pelas autoridades antidoping para a coleta de uma amostra de teste fora do período de competição, na semana passada.

“Machida afirmou não saber que a substância era proibida para uso tanto dentro quanto fora do período de competição”, diz o comunicado do UFC, que afirma ter sido notificado do caso só nesta quarta-feira pela Agência Antidoping dos Estados Unidos (USADA). A admissão de doping também é passível de punição, ainda que não haja o resultado analítico adverso para comprovar o doping, já que ele não realizou o teste.

Como punição, o UFC resolveu cancelar a lutar que Lyoto Machida faria contra o norte-americano Dan Henderson no próximo sábado, em Tampa, na Flórida (EUA), no chamado “UFC Tampa”, que teria este duelo como “co-main event” – segunda luta principal, preliminar de Glover Teixeira x Rashad Evans. 

Lyoto tem 37 anos e foi campeão da categoria meio-pesado entre maio de 2009 e maio de 2010, quando perdeu o cinturão para Maurício Shogun. Ele depois chegou a enfrentar Jon Jones para retomar o cinturão, mas foi derrotado. Recuperou-se vencendo o próprio Dan Henderson, em fevereiro de 2013. Há dois anos, chegou a desafiar Chris Weidman pelo cinturão dos médios, mas novamente não teve sucesso. Agora, vinha de duas derrotas, para Luke Rockhold e Yoel Romero, ambas no ano passado.