Maduro se solidariza com Suárez e considera punição exagerada

  • Por EFE
  • 28/06/2014 01h16

Após tomar dura punição por conta de mordida no zagueiro Chiellini EFE Suárez deixa a delegação uruguaia

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, se solidarizou nesta sexta-feira com o jogador uruguaio Luis Suárez e criticou a punição que lhe foi imposta pela Fifa por ter dado uma mordida no defensor italiano Giorgio Chiellini, que considerou “desproporcional” e garantiu que “inventaram todo um histórico” contra o jogador.

“Muito triste a punição desproporcional da Fifa contra Luis Suárez, grande atacante da América do Sul. Luis Suárez pertence a toda a América do Sul e lhe enviamos uma saudação de solidariedade, de irmandade”, disse Maduro durante um evento de governo em Caracas.

O governante comentou que “não perdoam” o Uruguai, pois não aceitam que “um filho do povo tenha eliminado dois grandes do futebol e, então, inventaram todo um histórico” contra o jogador.

“Ninguém é contrário a medidas corretivas, mas suspendê-lo do futebol no qual ele brilha, por quatro meses, tirá-lo do Mundial, realmente foi algo desproporcional que a América Latina vê com indignação”, acrescentou.