“Maior contrato da história” ganha as capas dos jornais espanhóis nesta quarta

  • Por Jovem Pan
  • 09/11/2016 09h02

Capa do jornal Marca desta quarta-feira (9/11)

Capa do jornal Marca desta quarta-feira (9/11)

Não satisfeito com a renovação com o Real Madrid até 2021, Cristiano Ronaldo também assinou um contrato vitalício com a Nike, que prevê o pagamento de mais de R$ 73 milhões por ano. O contrato é celebrado pela capa dos dois jornais esportivos da capital espanhola nesta quarta-feira.

O jornal Marca destaca que esse é o “maior contrato da história do futebol” e diz que, para a Nike, o retorno econômico deve superar ao alcançado com Michael Jordan. A comparação com a lenda do basquete norte-americana é a manchete do As: “Cristiano é o Jordan do futebol”. A publicação ainda destaca a lesão sofrida por Toni Kroos, que deve deixar o alemão fora do clássico com o Barcelona no começo de dezembro.

Na cidade catalã, o novo contrato de Cristiano não ocupa nem nota de rodapé. O Jornal Sport traz o retorno do zagueiro Piqué aos treinos após se recuperar de uma lesão que o afastou dos gramados por quatro jogos. Já o Mundo Deportivo destaca a eminente saída de Aleix Vidal na próxima janela de transferências.

Em Portugal, O Jogo destaca o interesse do Benfica no atacante colombiano Miguel Borja, que também é especulado em clubes como o Palmeiras. Segundo a publicação, o presidente benfiquista está disposto a pagar 10 milhões de euros pelo jogador.

O italiano Tuttosport traz uma entrevista exclusiva com o treinador Carlo Ancelotti e o principal destaque da conversa é a manchete: “Dybala é o novo Messi”, a respeito do jovem atacante argentino que atua pela Juventus.

O Olé, da Argentina, já fica na expectativa pelo duelo com o Brasil na próxima quinta-feira. A publicação exalta Messi como a principal esperança dos “hermanos” no Mineirão. A manchete diz “Belo e olhos azuis” e destaca: “Neymar o levou em seu avião, Dani Alves diz que ele “é o melhor da história”, não com medo, mas com respeito. Com vocês, Messi, grande esperança da Argentina”.