Mais finalizador, Ganso supera em dois meses de 2016 o número de gols em 2015

  • Por Jovem Pan
  • 10/03/2016 21h51
Ganso tem aparecido na área nas jogadas de bola parada e finalizado mais em 2016

Muito tem se discutido, nos últimos anos, sobre a posição ideal para Paulo Henrique Ganso render novamente o que rendeu em seus melhores momentos no Santos. As teorias iam desde transformar o meia em um volante, para jogar em uma zona menos marcada e ter melhor visão do jogo, até colocá-lo mais à frente, se aproximando dos atacantes.

Edgardo Bauza, contratado para treinar o Tricolor em 2016, não pode evitar o debate e as cobranças por uma “solução” para o encaixe do jogador. E, de certo modo, sob seu comando, Ganso subiu de produção, pelo menos em uma característica: o número de gols feitos. Com o gol marcado contra o River Plate, na quarta-feira, pela Libertadores, ele chegou a quatro em 2016, contra apenas três em todo o ano de 2015.

A mudança, entretanto, tem sido mais de atitude do que tática. Ganso está buscando mais a finalização em jogadas de bola parada, sendo que dois de seus quatro gols saíram em jogadas iniciadas desta forma. Os outros dois foram com finalizações de fora da área, o que mostra sua qualidade para chutar de média distância, recurso que pode ser mais utilizado.

Para entender um pouco melhor como essas mudanças têm impactado no número de tentos anotados pelo meia, o Jovem Pan Online mostra, abaixo, como foi cada um deles e o que é possível observar nas jogadas.

Gol 1: RB Brasil 1 x 1 São Paulo

Logo no primeiro jogo da temporada, o camisa 10 são-paulino mostrou que queria deixar para trás duas famas negativas que tem ostentado: a de não fazer gols e de não ser vibrante. Após marcar de cabeça contra o RB Brasil, ele saiu vibrando com o feito. Gols de bola parada são algo bastante incomum em sua carreira.

Gol 2: São Paulo 2 x 0 Mogi Mirim

Desta vez, Ganso fez seu primeiro gol de fora da área em 2016. Após tabelar com Alan Kardec, ele limpou a marcação e bateu no canto, mostrando precisão na finalização.

Gol 3: São Paulo 1 x 3 São Bernardo

A partida foi uma tragédia para o Tricolor, mas o gol de Ganso, que abriu o placar no Pacaembu, foi uma pintura. Depois de dominar, o meia arriscou de longe e acertou uma bomba. Ou seja: o recurso do chute de fora da área pode ser bastante útil se explorado com mais afinco.

Gol 4: River Plate 1 x 1 São Paulo

No empate diante do atual campeão da Libertadores, Ganso voltou a mostrar o oportunismo que o fez marcar o primeiro gol do São Paulo na temporada. Desta vez, porém, aproveitou a sobra na área para emendar de primeira e balançar as redes.