Mancha? Ex-Corinthians ainda vê mercado para técnicos brasileiros na China

  • Por Jovem Pan
  • 27/10/2016 12h22

Bruno Mazziotti foi o fisioterapeuta do Corinthians entre 2009 e 2016

Bruno Mazziotti foi o fisioterapeuta do Corinthians entre 2009 e 2016

Há quatro meses, o atacante Aloísio “Boi Bandido”, ex-São Paulo e atualmente no futebol chinês, concedeu entrevista exclusiva à Rádio Jovem Pan na qual disse que as demissões de Vanderlei Luxemburgo e Mano Menezes haviam “manchado a imagem” dos brasileiros na China. A tese ganhou ainda mais força depois do bate-boca público entre Luxa e Luiz Felipe Scolari, que trocaram farpas e discordaram a respeito da existência de corrupção no futebol do país. 

Há, porém, quem ainda veja mercado para treinadores brasileiros na China. Em entrevista exclusiva a Flavio Prado que vai ao ar no próximo fim de semana, na Rádio Jovem Pan, o fisioterapeuta Bruno Mazziotti negou que a mão de obra verde e amarela esteja desvalorizada na China. Mazziotti trabalhou no Corinthians de 2009 a 2016, virou referência na área e, hoje, é o único brasileiro que integra a comissão técnica do Shandong Luneng, da China – ele se transferiu ao clube a convite de Mano Menezes, mas, ao contrário do treinador, não foi dispensado. 

As saídas do Mano e do Vanderlei se deram por questões circunstanciais. Poderia ter acontecido com um europeu, com um brasileiro ou com um sul-americano“, opinou Mazziotti, defendendo a importância dos profissionais brasileiros para o desenvolvimento do futebol chinês. Para mim, a influência do futebol brasileiro no mundo asiático ainda é muito grande. Acredito que a vinda de outros treinadores brasileiros para cá é uma questão de tempo“, apostou.

Vanderlei Luxemburgo e Mano Menezes foram demitidos no início de junho, em um intervalo de apenas dois dias. O carioca comandava o Tianjin Quanjian, da segunda divisão, e teve alguns problemas de relacionamento com a diretoria. Depois de maus resultados e somente seis meses de trabalho, perdeu o emprego. Já Mano estava no Shandong Luneng, um dos clubes mais poderosos da China, e foi dispensado por causa do mau desempenho na liga nacional. 

Mazziotti, no entanto, apela ao exemplo de Luiz Felipe Scolari para justificar a opinião de que o mercado chinês segue aberto aos treinadores brasileiros – Felipão é o técnico do atual campeão nacional, Guangzhou EvergrandeE o fisioterapeuta vai além: para Mazziotti, os trabalhos de Luxemburgo e Mano Menezes ainda dão frutos às equipes que eles comandavam – hoje, o Tianjin Quanjian é treinado pelo italiano Fabio Cannavaro, e o Shandong Luneng, pelo alemão Felix Magath. 

O último campeão chinês foi o Felipão, que, agora, também é finalista da Copa Chinesa. Vem fazendo um grande trabalho aqui. O Vanderlei e o Mano saíram no meio do trabalho, é verdade, mas o ex-time do Mano chegou à semifinal da Champions League Asiática e a ex-equipe do Vanderlei subiu de divisão agora, com a base que ele montou. Essa continuidade do trabalho vai existir sempre. O treinador brasileiro, hoje, está atento ao mercado externo“, encerrou.