Manchester United vence o clássico com o Liverpool e alivia pressão

  • Por Agência Estado
  • 17/01/2016 14h24
Jogadores do United festejaram gol de Rooney que deu a vitória aos Red Devils diante do Liverpool

O Liverpool dominou a posse de bola, teve as principais oportunidades, mas não aproveitou. Do outro lado, o Manchester United só se fechou em boa parte dos 90 minutos e precisou de apenas uma grande chance para definir o clássico. Fora de casa, o time de Louis van Gaal afastou a crise e deu um respiro ao treinador ao fazer 1 a 0 sobre o grande rival, neste domingo (17), pelo Campeonato Inglês.

E o gol em um clássico tão brigado, de pouca qualidade técnica mas muita luta, só poderia ser de Wayne Rooney. O atacante formado no Everton, que nunca escondeu seu ódio pelo Liverpool, voltou a balançar a rede em Anfield Road após 11 anos, justamente no momento em que vive novamente boa fase. Foi a quarta partida seguida em que ele marcou.

O resultado levou o Manchester United a 37 pontos, agora na quinta colocação, na zona de classificação para a Liga Europa. No sábado que vem, a equipe volta a campo pelo Inglês para encarar o Southampton. Já o Liverpool parou nos 31 pontos, somente em nono, e duela com o Norwich na próxima rodada, também no sábado.

O Liverpool começou pressionando no clássico e teve um ótimo momento logo aos nove minutos. Lucas deu lançamento perfeito para Lallana, De Gea ficou no meio do caminho mas ainda assim conseguiu defender a cabeçada do meia. O rebote ficou com Firmino, que cortou para a perna direita e bateu cruzado. A bola resvalou na trave e saiu. No minuto seguinte, o brasileiro deu lançamento preciso para Milner, que finalizou firme, mas por cima.

Com a forte marcação do Manchester United, o Liverpool se apoiava na chegada surpresa dos volantes para incomodar. Aos 29, Henderson foi para o ataque e tentou a tabela com Lallana. A bola ficou com Firmino, que tocou novamente para Henderson. Ele apareceu dentro da área e bateu cruzado para fora.

Apesar destas oportunidades, o primeiro tempo foi morno. O Liverpool era dono da posse de bola, tocava na intermediária, mas não encontrava espaço para finalizar. A equipe voltou do intervalo disposta a mudar isso e quase marcou aos quatro minutos. Firmino tocou para Henderson, que encontrou Emre Can. O meia pedalou, cortou para a esquerda e bateu cruzado. De Gea desviou com o pé e impediu o gol.

O Manchester United respondeu aos 10, quando Martial aproveitou sobra e quase marcou, mas foi um lance ocasional. O domínio era ainda maior do Liverpool, que voltou a assustar aos 21, novamente com Emre Can, que exigiu outra ótima defesa de De Gea em chute de fora da área.

Só que os donos da casa não conseguiram transformar a superioridade em gol. O Manchester, por sua vez, precisou de apenas mais uma chegada para marcar e definir o confronto. Aos 32 minutos, Mata cruzou da esquerda, Fellaini cabeceou no travessão e mas a bola se ofereceu para Rooney. O atacante encheu o pé, tirando qualquer chance de defesa de Mignolet.