Mano lamenta desorganização da equipe e assume responsabilidade por tropeço

  • Por Jovem Pan
  • 19/09/2014 07h30
Mano Menezes assume responsabilidade por empate diante do Chapecoense

Mano Menezes teve dificuldades para explicar mais um tropeço em casa pelo Campeonato Brasileiro. Depois do frustrante empate por 1 a 1 diante do Chapecoense, o treinador corintiano assumiu responsabilidade pelo desempenho irregular da equipe. Em tom sincero, o gaúcho admitiu que o alvinegro não briga mais pelo título, mas criticou as cobranças da imprensa aos resultados ruins do Timão no torneio. 

O Corinthians começou a partida em cima dos catarinenses e logo abriu o placar com o jovem Malcom, novidade de Mano na escalação. Contudo, depois de abrir vantagem, o time se perdeu em campo e cedeu o empate, sem conseguir reagir à altura em busca da vitória. “Assumo a minha parcela de responsabilidade nessa hora de dificuldade. A equipe sofreu um gol, perdeu a tranquilidade e se desorganizou, quase sofrendo a derrota porque possibilitou chances ao adversário. À medida em que a equipe não consegue simplificar determinadas situações e começa a errar… As escolhas são minhas, é minha responsabilidade e não fujo dela. Penso que já deveríamos saber superar um momento de dificuldade como esse, após um gol inesperado. Deveríamos estar no estágio de uma equipe preparada para a situação como essa. Isso é culpa do técnico”, disse.

Jadson foi o responsável pela criação corintiana na partida. O meia foi muito mal e acabou substituído por Lodeiro, que também errou muitos passes e irritou os mais de 25 mil presentes na Arena Corinthians. Mano explicou suas opções para o duelo diante dos catarinenses. “Renato [Augusto] não dava, veio com uma sequência que nós entendemos que seria muito mais coerente recuperar o jogador. Correríamos riscos de lesioná-lo, não queremos isso porque a sequência dele está boa. Não vamos ter o Jadson no domingo, a escolha foi por isso”. 

Com 37 pontos, o Corinthians é o quarto colocado, muito distante do líder Cruzeiro que soma 49. “Nossa realidade agora é bastante clara. À medida em que você não consegue avançar, fica muito mais para brigar numa situação de segundo a quarto lugar. Favorito em clássico é uma questão sempre teórica, jogos como esses têm características especiais, em jogo teremos muito mais do que os três pontos. Vamos estar preparados para isso”, disse em referência ao clássico do próximo domingo (21) diante do São Paulo, que também será disputado na Arena alvinegra.

O treinador corintiano não se mostrou preocupado com as contestações ao seu trabalho e ainda cutucou a imprensa. “É um pouco engraçado o que circula por aí. Nós vamos a Curitiba, empatamos com o Coritiba, jogamos 30 minutos com dez homens, e no dia seguinte é um tumulto que o Corinthians empatou. Outros vão lá, tomam três, e está tudo normal. Que avaliação de futebol é essa feita na praça? Por que uns são mais simpáticos? Uns são fonte de blogueiro, outros não são… Por que essas discrepâncias tão grandes de avaliação de resultados? Isso eu não aceito”, aludindo ao rival São Paulo, que caiu diante do Coxa na última quarta-feira (17), no Couto Pereira.