Mano lamenta tropeço e falta de sequência positiva: “era hora de embalar”

  • Por Jovem Pan
  • 25/09/2014 07h45
FLORIANÓPOLIS, SC, 24.09.2014: FIGUEIRENSE-CORINTHIANS - Mano Meneses, do Corinthians, durante a partida - Partida entre Figueirense e Corinthians, válido pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro, no estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis (SC), na noite desta quarta-feira (24). (Foto: Eduardo Valente/Frame/Folhapress)Corinthians sofre gol no final e perde para o Figueirense por 1 a 0

Depois de cair diante do Figueirense no Orlando Scarpelli, o Corinthians saiu do G-4 do Campeonato Brasileiro e manteve a irregularidade que vem mostrando no torneio. Em entrevista coletiva concedida após a partida, o técnico Mano Menezes lamentou o revés, que impediu uma sequência positiva de sua equipe e afirmou que o seu time precisa ser “mais contundente” em determinadas situações do jogo. Ele negou que tenha havido “empolgação” no elenco, mesmo após a boa vitória no clássico diante do São Paulo na última rodada e evitou fazer críticas ao setor defensivo, que cedeu um gol aos catarinenses no final do duelo. 

“Precisamos de uma sequência de vitórias. Hoje era uma boa oportunidade para conseguirmos isso. O Figueirense impõe dificuldade aqui contra todo mundo, o jogo tem características diferentes, mas era para embalar depois de uma grande vitória no clássico, que deu animação para todos nós. Um clássico bem jogado. Era a hora”, lamentou o treinador que vem sendo criticado pelo desempenho alvinegro fora de seus domínios. 

Para Mano, o Corinthians precisa ser mais efetivo e aproveitar os espaços dados pelo adversário. “Às vezes é por capricho do futebol. Um lance antes de tomarmos o gol, tivemos a bola do jogo. Uma jogada bem feita, um passe bonito do Luciano, uma conclusão ainda melhor do Guerrero. Mas penso que temos de ser contundentes quando o jogo fica como ficou no segundo tempo, aberto”.

Questionado sobre a dificuldade de obter uma sequência positiva de resultados, o treinador corintiano lembrou que outras equipes vem enfrentando o mesmo problema. “Ela [sequência] não tem vindo quase pra ninguém. Se você olhar, vai ver que as outras equipes passam pela mesma dificuldade que a gente. Elas não conseguem o resultado. Quem tem conseguido mesmo é o Cruzeiro, e exatamente por isso está liderando a competição e já há bastante tempo é o favorito para a conquista. As outras equipes oscilam, ganham um jogo, fazem até duas vitórias, mas perdem a terceira, e perdem a oportunidade emblemática”, opinou. 

O treinador não vê com estranheza o fato do Corinthians ter bons resultados contra equipes bem colocadas e tropeçar quando atua diante de algumas equipes ameaçadas. “É do campeonato mesmo. Trabalhamos bem essa questão de não se empolgar e não considerar o adversário. Você vence um dos maiores do campeonato e vai para o segundo jogo, que é diferente, a colocação e a grandeza, você não pode deixar isso afetar a maneira como você se comporta. Mas não tivemos essa dificuldade. Foi o jogo mesmo”, admitiu. 

Mais uma vez o Corinthians sofreu com a bola parada e cedeu um gol ao Figueirense depois de um escanteio cobrado. O técnico não quis condenar seu setor defensivo. “Temos de acreditar nos jogadores que temos, e eu acredito. Por isso tenho falado que estamos acelerando determinadas situações para que os jogadores estejam preparados quando precisarmos deles. Tenho certeza de que vão estar”, finalizou.

O Corinthians volta aos gramados no próximo domingo (28) para enfrentar o Atlético-PR, em Curitiba, em partida válida pela 25ª rodada.