Mano Menezes ironiza crise no Corinthians e critica STJD: “lei está errada”

  • Por Jovem Pan
  • 23/10/2014 07h39
durante a partida entre Corinthians/SP x Vitoria/BA, realizada esta noite na Arena Pantanal, valida pela 30a. rodada do Campeonato Brasileiro de 2014. Juiz: Alinor Silva da Paixao - Cuiaba/MT/Brasil - 22/10/2014. Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. CorinthiansMano Menezes celebra vitória diante do Vitória em Cuiabá

Após ver o Corinthians bater o Vitória por 2 a 1 em Cuiabá, o técnico Mano Menezes ironizou as críticas ao seu trabalho e a sua equipe depois da eliminação alvinegra na Copa do Brasil, no último dia 15. O gaúcho ressaltou a importância da sequência positiva após a queda para o Galo e criticou a decisão do Supremo Tribunal de Justiça Desportiva [STJD] de realizar um acordo sobre a punição de Valdívia, que foi liberado para disputar o clássico do próximo sábado (25) entre Palmeiras e Corinthians, no Pacaembu, pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro. 

Depois da eliminação vexatória diante do Atlético-MG pela Copa do Brasil, o Corinthians bateu Internacional e Vitória, ambos pelo Campeonato Brasileiro. Essa sequência é muito importante na visão de Mano Menezes. “As vitórias que conseguimos depois de quarta passada [dia da derrota para o Atlético] servem para mostrar nossa capacidade, mostrar que somos melhores do que aquilo. Principalmente para nós mesmos. Depois para o torcedor, para que ele volte a confiar na equipe. E também pelos resultados paralelos. À medida em que os adversários te dão chance e você não aproveita, isso desestimula muito”, disse. 

Já pensando no clássico diante do Palmeiras, no próximo sábado, Mano Menezes lamentou a ausência de Guerrero [suspenso por três jogos pelo STJD], mas preferiu ressaltar o desempenho do time sem desfalques importantes. “Não conversarmos sobre isso, mas era um assunto importante antes de um jogo também importante. Deve ficar a cargo do departamento jurídico do clube, que certamente amanhã ou depois passará uma posição definitiva. O que me deixa contente é que sem Paolo, Fagner e Cássio, a equipe respondeu bem em um jogo que tinha essa carga de tensão. Jogando como mandante em um estádio que não era nosso. Era importante, com essa responsabilidade, dar uma resposta positiva e continuar vencendo. Se não me engano, nos colocamos, com essa vitória, com uma das melhores campanhas do segundo turno. Se não a melhor. Subimos de sexto para terceiro. É por que estamos em crise, né? Se estivéssemos bem”, ironizou. 

Se Guerrero estará fora do clássico, Valdívia está confirmado do lado alviverde. O STJD realizou um acordo sobre a punição do chileno, que desfalcou o Verdão diante do Cruzeiro e está liberado para enfrentar o Timão. “Não sei. O que achei estranho é fazer um acordo para um jogador e decidir quando ele vai cumprir suspensão. Se quer jogar esse jogo ou aquele. Isso me pareceu estranho. Não pode ser permitido. Se a lei permite, a lei está errada. O infrator não pode escolher como vai cumprir a pena. Quem julga e que deve definir. Você não pode desequilibrar uma competição, por mais que o jogo tenha rivalidade ou não. Deve-se estabelecer um padrão, pelo menos na minha visão, para que as coisas sejam vistas pelo torcedor”, finalizou.

Depois do triunfo sobre o Vitória, o Corinthians chegou aos 52 pontos, assumiu a terceira colação na tabela e retornou ao G-4 da competição depois de sete rodadas.