Marcelo Fernandes garante afinco mesmo em meio a rumores sobre sua saída

  • Por Jovem Pan
  • 07/07/2015 15h29

Técnico Marcelo Fernandes pediu trabalho pesado antes do Campeonato Brasileiro

Marcelo Fernandes

Os rumores apontam que o Santos vai trocar de comando em breve e, nesta terça-feira (7), em meio à sua iminente saída do cargo de técnico do alvinegro praiano, Marcelo Fernandes concedeu entrevista coletiva para explicar a situação.

O atual treinador santista admitiu que se reuniu com o vice-presidente César Conforti, mas segundo ele a conversa não foi nada demais.

“Foi uma conversa normal que tive com o vice-presidente. Não falou nada demais”, falou. “O combinado comigo é esse (retornar ao cargo de auxiliar se um novo técnico chegar). Por isso estou tranquilo. Tudo isso aconteceu no Paulista, eles foram coerentes comigo. Não é nada além do que foi tratado lá atrás”, prosseguiu.

Marcelo Fernandes frisou que o Santos não deveria estar tão mão no Campeonato Brasileiro e garantiu que vai trabalhar com empenho mesmo em meio aos rumores sobre sua saída.

“A equipe está nesse momento, mas não merecia. Disse à assessoria que não queria nenhum jogador dando entrevistado, e sim eu”, afirmou. “Se é hoje, amanhã, daqui a dez anos, vou trabalhar com afinco e não mudar isso. Todos têm o livre arbítrio, mas ninguém veio pra mim e reclamou do meu trabalho. Podem reclamar de resultado, mas de trabalho. Quero ver alguém chegar e falar isso”, falou o técnico.

Marcelo Fernandes assegurou também que não foi ‘enganado’ pelo título do Campeonato Paulista conquistado neste ano, quando o Santos derrotou o Palmeiras na decisão estadual.

“Quando fui campeão não achei que cheguei ao céu. A respeito de cobrança da torcida, sei como é. Já estive do outro lado. Muita gente da torcida tem me apoiado. Reconhece o que está sendo feito aqui. Não vivo de ilusão. Assim como quando fui campeão paulista. Time grande depende de ganhar ou perder”, garantiu.

Por fim, o técnico do Santos ressaltou que os salários atrasados não têm a ver com a queda de rendimento do time.

“Esse assunto aí (salário atrasado) não tem nada a ver. Fomos campeões com sete meses de imagem atrasada. Presidente veio aqui na sexta e se comprometeu a pagar, fez uma planilha. Não tenho uma vírgula pra falar desse elenco. O Atlético-MG é líder, só não é líder isolado porque perdeu pra gente lá, que estávamos com nove jogadores vindos da base no time”, finalizou.