Marcelo Fernandes se diz fã de Oswaldo e enaltece Robinho: “é um ídolo do Santos”

  • Por Lucas Reis/Jovem Pan
  • 02/05/2015 15h21
SANTOS, SP - 25.04.2015: PALMEIRAS-SANTOS - O técnico do Santos, Marcelo Fernandes, concede entrevista para falar sobre a primeira partida da final do Campeonato Paulista de Futebol 2015, que acontece neste domingo, às 16h, no Allianz Parque, contra o Palmeiras. (Foto: Claudio Vitor Vaz/A Tribuna/Folhapress) Folhapress Marcelo Fernandes concede entrevista exclusiva à Jovem Pan na véspera da final

Jovem e sonhador, Marcelo Fernandes está há dois meses no comando do Santos. Efetivado no cargo após demissão de Enderson Moreira, o ex-auxiliar assumiu o time, agradou diretoria e jogadores, conseguiu bons resultados e vive agora a expectativa de conquistar seu primeiro título como treinador. Aguardando a partida decisiva que decidirá o título Paulista, contra o Palmeiras, neste domingo (03), na Vila Belmiro, Marcelo conversou com exclusividade com a reportagem Jovem Pan Online, e se mostrou orgulhoso por ter jogado e hoje treinar o Santos, seu time do coração, destacou o papel de Robinho no Peixe e disse ser grande fã de Oswaldo de Oliveira.

Nascido e criado em Santos, Marcelo Fernandes torce pelo Alvinegro da Vila Belmiro, e não esconde o prazer de trabalho no clube que ama: “tive o prazer e o orgulho de ter nascido santista, ter jogado no Santos e hoje estou comandando. Realmente, isso é para poucos, e estar nessa situação é um orgulho pra mim”, afirmou.

Ex-zagueiro de muita força, Marcelo rodou o Brasil e jogou, além do Santos, na Portuguesa Santista, Atlético-MG e Portuguesa. Hoje treinador, o santista comentou sua carreira como jogador e lembrou que era meio-campista: “me considero um bom jogador também, só que era outra época, outros clubes, o próprio Santos tinha uma estrutura diferente. Daria uma nota 7 e meio (para ele mesmo como zagueiro)”.

Disputando sua primeira final como treinador, o comandante santista destacou que não tem como fugir da ansiedade, mas se disse tranquilo e focado em seu trabalho para lidar com o frio na barriga. “Isso é inevitável. Ansiedade, frio na barriga, existe. Mas conforme os jogos foram passando, isso foi tratado de maneira positiva. Eu procuro ficar muito tranquilo, bastante focado naquilo que estou fazendo, principalmente nos detalhes, é o que nos dá segurança pra que isso passe. Depois que a bola começa a rolar, tudo começa a acontecer, essa ansiedade vai embora. Realmente a gente procura fazer o mais simples possível pra que possa dominar todas as ações possíveis”, explicou o técnico.

Durante a semana que antecedeu a segunda partida da final do Paulista, um vídeo de Robinho cantando um funk em que dizia que o Santos será campeão gerou polêmica. Marcelo, porém, minimizou o episódio e disse não ver problema nenhum: “não é possível uma pessoa ver maldade naquilo. E outra coisa, não tem como o Robinho cantar dizendo ‘vou perder’ ou ‘vou empatar’. Ele tem que cantar o funk dizendo que vai ganhar. Nossa única possibilidade de ser campeão é ganhar o jogo do Palmeiras. Não vejo maldade alguma. As pessoas que enxergam maldade nisso, não conseguem ter algum tipo de matéria melhor”.

Sobre Robinho, aliás, o técnico santista valorizou o papel do camisa 7 dentro do elenco, e não escondeu sua admiração. “Minha relação com o Robinho é a melhor possível. Robinho é uma pessoa sensacional. Tenho o prazer de conviver com ele agora, convivi antigamente, mas não comandando como hoje. Não tenho o que dizer contra. É um ídolo do clube, puxa fila em treinamentos, então, um cara desses tem que ser elogiado e enaltecido. E não é o que ele faz por mim, é o que ele faz para o Santos. Desde 2002, ele só fez o melhor para o clube”, comentou o jovem comandante alvinegro.

Aos 44 anos, e prestes a completar dois meses a frente do elenco santista, Marcelo Fernandes foi auxiliar de Oswaldo de Oliveira em 2014. Sobre o treinador, hoje dirigindo o rival, Palmeiras, Marcelo rasgou elogios: “o Oswaldo é uma pessoa sensacional. Homem de um caráter inigualável. Tem muita coisa de bom para dar ao futebol. Tudo que eu falar é pouco perto do que ele merece ouvir. É um homem de caráter, um treinador sensacional. O futebol e o mundo precisavam de homens como ele. Faço votos pra que eu também seja um pouco do que ele é nessa vida”, afirmou o ex-zagueiro.

O Santos de Marcelo Oliveira enfrenta o Palmeiras neste domingo (02), na Vila Belmiro, e para conquistar o primeiro título da carreira de seu treinador, o Peixe precisa vencer o rival por dois gols de diferença. Ansioso para a decisão, Marcelo se mostrou confiante, e destacou que a sintonia entre time e torcida é fundamental pra buscar o triunfo. “Os jogadores estão muito focados, muito envolvidos com essa decisão. Estão muito felizes de fazer essa final dentro de casa. Sabemos o que somos aqui dentro, o que podemos fazer, o que nossa torcida pode fazer pela gente, e nós pela torcida. Vamos fazer um belo jogo e se Deus quiser, conseguir esse título”, finalizou o jovem treinador santista.