Marcos critica alvo de protestos: “não havia ministros no ônibus da Seleção”

  • Por Jovem Pan
  • 04/06/2014 09h34
RIO DE JANEIRO, RJ - 26.05.2014: APRESENTAÇÃO/SELEÇÃO/RJ - Professores fazem ato em frente ao Hotel Linx - Os jogadores da seleção brasileira se encontram nesta segunda-feira no Hotel Linx, na Ilha do Governador, no Rio de Janeiro antes de seguir para Teresópolis, na região serrana do Rio de Janeiro, para o início da preparação para a Copa de 2014. (Foto: Erbs Jr./Frame/Folhapress)Manifestantes hostilizam ônibus do Brasil em saída para Granja Comary

Pentacampeão mundial em 2002 com a Seleção Brasileira, o ex-goleiro Marcos entende a escolha do técnico Luiz Felipe Scolari por Júlio César como titular no Mundial de 2014. Além disso, o ídolo palmeirense espera que os jogadores sejam solidários com Neymar para que o atacante brilhe durante o torneio. Em entrevista exclusiva à Jovem Pan, Marcos também disse ver os protestos como “válidos”, mas ressaltou que a Seleção Brasileira não deve ser o alvo principal dos insatisfeitos, já que não são os jogadores os responsáveis pelas mazelas do país. 

Com a proximidade do início do Mundial, os protestos contra a realização da competição crescem. No dia da apresentação da Seleção Brasileira, o ônibus com atletas e comissão técnica foi alvo de manifestantes no Rio de Janeiro. O ex-goleiro discorda da ação. “Acho que os protestos são livres, todos querem que o Brasil melhore fora do campo, na educação, na saúde e na segurança. Só penso que estão cobrando no lugar errado, não tinha nenhum ministro no ônibus da seleção. Eles estão representando o país dentro do campo. Agora, fora dele, toda essa reinvindicação da sociedade é justa”, opinou. 

Sobre o país ainda não ter entrado no “clima da Copa”, Marcos acredita que depois que a bola rolar no dia 12 de junho, o ambiente mudarpa. “Acho que está esquentando aos poucos, estamos vendo alguns carros na rua com bandeiras e talvez, por conta dos prostestos, o pessoal está meio preocupado. Mas tenho certeza que na hora que a Copa começar, o pessoal vai se animar com os jogos e tenho certeza que será um grande torneio”.

Neymar e Júlio César

Neymar é a principal esperança da Seleção Brasileira para conquistar o hexa em 2016 e disso ninguém discorda. Marcos está confiante no atleta, apesar da pouca idade, apenas 22 anos. “O Neymar está acostumado com a pressão. Desde o Santos até o Barcelona, acho que ele já está adaptado. Um grande jogador como ele sempre vai ser pressionado para fazer um bom papel. Acredito que os outros jogadores vão ser fundamentais para ajudar o Neymar a se destacar. Claro que ele terá que assumir a maior responsabilidade, mas, com a ajuda dos seus companheiros de grupo, a tendência é que dê tudo certo”, disse. 

Especialista na posição, Marcos entende a opção de Felipão pelo titular da meta brasileira para 2014. “O Júlio César tem uma grande experiência na Seleção Brasileira, apesar desse erro em 2010 [nas quartas-de-final diante da Holanda]. Não podemos analisar apenas por essa falha, na Copa das Confederações ele foi bem. Ele é um cara que o Felipão confia, não que o Victor ou Jefferson não tenham qualidade, mas talvez tenha sido escolha do treinador pela confiança e pela experiência adquirida ao longo dos anos”.

Principal adversário

Campeão diante da poderosa Alemanha em 2002, Marcos aponta outro rival como o possível grande obstáculo do Brasil para a conquista do hexacampeonato. Para o ex-goleiro, a Argentina de Messi será uma das principais equipes do torneio. “Os caras fizeram o anúncio [da lista de convocados] sem aquela badalação toda, isso me preocupa bastante. Eles vão chegar sem muita responsabilidade, mas dentro de campo sempre é muito díficil enfrentá-los. Além disso, eles tem um dos melhores jogadores do mundo”, afirmou. 

Restando apenas oito dias para o Mundial, Marcos espera que a Copa de 2014 seja um dos torneios mais técnicos da história da competição. “Apesar de algumas seleções não terem tradição de já ter ganho uma Copa do Mundo, todas elas têm dois ou três jogadores mundialmente conhecidos. Então será um Mundial dos melhores”