Mário Gobbi desabafa, critica política do futebol e se diz um vencedor

  • Por Jovem Pan
  • 25/01/2015 16h05
Mario Gobbi fala sobre futuro do Corinthians no Esporte em Discussão

Perto do fim de seu mandato, o presidente corintiano Mário Gobbi fez um balanço de sua experiência no cargo após a vitória do time na final da Copa São Paulo. O dirigente valorizou suas conquistas no clube, mas lembrou também de todas as dificuldades enfrentadas. Apesar de sair feliz, Gobbi não quer mais saber de política corintiana após a saída da presidência – a eleição para a escolha de seu sucesso acontece no dia 7 de fevereiro.

“Estou doente, preciso me tratar. A minha saúde debilitou bastante, minha família sofreu muito. Eu não reclamo, pois eu quis (ficar no cargo), é o preço. Fiquei seis anos só pensando no Corinthians; agora vou pensar na minha vida e viver um outro mundo, fora do futebol. Quero sair da política do Corinthians”, desabafou Gobbi.

Apesar dos problemas de saúde, o dirigente disse não ter avaliado a possibilidade de sair do cargo. “Nunca pensei nisso, porque ia me sentir um derrotado. Eu tinha de ir até o fim, e contra muita gente dentro do Corinthians que remou contra mim. O mundo sabe disso. Mas isso já passou”. Agora, o futuro será voltar à antiga profissão. “Sou delegado de polícia a 35 anos, e vou voltar pra essa profissão”.

Por outro lado, a “cruz” que Gobbi teve de carregar mostrou seu lado bom – foi em seu mandato que o clube conquistou a Libertadores e o Mundial em 2012 e inaugurou a Arena Corinthians. “A cruz são as pessoas que vivem dentro do Corinthians e que trabalham contra a sua gestão. Isso é insuportável. Você administrar o clube é perfeitamente tranquilo e viável. Você monta uma equipe, descentraliza, a coisa anda bem, e aqui está a prova”, afirmou, se referindo à vitória do Timão na final da Copinha sobre o Botafogo de Ribeirão Preto.

Ao ser questionado se sai mais feliz ou magoado do cargo, Mário Gobbi foi taxativo. “Eu sou um vencedor! Ganhei oito títulos e dois vices em seis anos. Em doze anos, sai de sócio do clube a presidente. Saio feliz da vida, realizado, sou um homem que tem Deus no coração, e tudo que podia ganhar no Corinthians, eu ganhei. Está na hora de cuidar de outras coisas”, concluiu.