Médico vê evolução no quadro de Lais Souza, mas evita prognósticos

  • Por Jovem Pan
  • 06/02/2014 22h09

Lais Souza sofreu grave acidente nos Estados Unidos e passou por cirurgia

Lais Souza

A situação da esquiadora Lais Souza ainda é crítico, mas é possível ver melhora, é o que aponta o Dr. Antonio Marttos Jr., que acopanha a evolução da Atleta. Em entrevista feita nesta quinta-feira, mattos evitou dar qualqeur prognostico sobre qual será o quadro de Lais no futuro, mas viu pontos positivos no tratamento.

“Não é possível, nesse momento, afirmar qualquer prognóstico sobre o quadro final da Lais. Ela está sendo tratada em um dos centros mais avançados do mundo nesse tipo de lesão, o Miami Porejct Cure Paralysis, comandado pelo Dr. Barth Green. O ponto mais positivo nessa primeira semana foi em relação à parte respiratória. Decidimos pela não implantação do marcapasso no diafragma incialmente”, afirmou o médico.

“Nesse momento, iniciamos o processo de diminuição do suporte de ventilação mecânica à Lais. Ela tem tolerado bem esse “desmame”. Estamos otimistas de que ela sairá do ventilador mecânico. Quanto à parte de movimentação, ainda é muito cedo para dar qualquer prognóstico, mas temos alguns sinais de que a lesão é grave, mas não completa. Reitero que é impossível nesse momento saber como irá evoluir a parte motora”, explicou. 

Lais está internada desde quarta-feira  no Hospital da Universidade de Miami, onde dá continuidade ao processo de recuperação da grave lesão sofrida na coluna cervical depois de sofrer um grave acidente em uma sessão de treinamento nos EUA. 

“A vida da Lais esteve em risco na fase inicial e o excelente atendimento prestado a ela, desde a fase na montanha e depois no hospital, foi fundamental para atenuar esse risco. Sua fase ainda é aguda, porém estável e controlada pela equipa médica na unidade de terapia intensiva”, alertou Mattos, que msotrou otimismo com a postura da atleta.

“Lais é uma das pessoas mais fortes que já tratei. Está extremamente tranquila, ciente do desafio que tem pela frente. Ela está muito forte mentalmente, se comunica com todos ao redor e só não tem a voz porque está com a traqueostomia, mas sussurra o que quer. Pediu para assistir filmes, escutar músicas e está ciente das manifestações de carinho de todos, da força que vem recebendo da família, dos amigos, e ficou muito feliz de ter visto a foto da equipe brasileira em Sochi com a camisa em sua homenagem”, concluiu.