Médicos de Lais Souza se mostram otimistas com sua recuperação

  • Por Agência EFE
  • 07/02/2014 20h43

Os médicos de Lais Souza se mostraram otimistas com a recuperação da atleta

Médicos de Lais Souza em coletiva

Os médicos que estão tratando da esquiadora Lais Souza, que sofreu um grave acidente durante uma sessão de treinamentos em Salt Lake City, se mostraram otimistas com sua recuperação nesta sexta-feira, embora tenham reconhecido que a atleta ainda se encontra em uma situação grave.

“Há muito otimismo e esperança para que ela possa se recuperar da melhor forma possível”, disse à Agência Efe o cirurgião Antonio Marttos, do centro de traumatologia do Hospital Jackson Memorial, em Miami.

A esquiadora, que disputou os Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008, como ginasta, teve que ser submetida a uma operação de cinco horas em Utah para realinhar a coluna vertebral. Na quarta-feira, ela foi transferida para o Jackson Memorial para continuar a recuperação do acidente, que deixou algumas sequelas.

O choque contra uma árvore enquanto esquiava afetou a medula espinhal e lhe provocou graves lesões na região cervical. Devido a isso, a atleta perdeu completamente a mobilidade.

“Ela esteve em uma situação muito crítica. Perdeu a mobilidade e a sensibilidade nos braços e nas pernas, e também a capacidade para respirar por si própria”, acrescentou Marttos, que também é médico da equipe olímpica brasileira.

Apesar da situação da atleta de 25 anos, os médicos confiam em sua melhoria e disseram que desde ontem praticamente não utiliza a respiração com a ajuda de aparelhos.

“Ela está evoluindo muito bem. A melhor notícia que temos é que a máquina de respiração está sendo diminuída. Por isso estamos muito otimistas porque acreditamos que não precisará da máquina para respirar”, avaliou.

Segundo ele, esse é um passo muito importante para a estabilidade da atleta, que vinha treinando para participar dos Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi, abertos oficialmente nesta sexta-feira.

“Lais estava muito motivada para participar dos Jogos de Inverno, já que seria uma das poucas brasileiras a participar de dois (Jogos Olímpicos) de verão e um de inverno”, relatou Marttos, que evitou fazer prognósticos.

“É impossível dizer até que ponto ela poderá se recuperar. Mas está no melhor lugar do mundo para que tenha mais chances. Lais está consciente e muito otimista, o que é importante para a recuperação”, afirmou.

“Ela não chora e sorri muito, e isso é muito importante. Emocionalmente está muito forte, já que uma atleta como ela está acostumada a desafios. Acreditamos que já está vencendo a primeira etapa, e vamos continuar trabalhando com todos os médicos do Jackson Memorial para que possa ter a melhor qualidade de vida possível”, completou.

A gerente de planejamento esportivo da equipe olímpica, Adriana Behar, disse que o acidente foi recebido “com muita dor” no país e destacou a importância de se pensar positivo. “Todos estamos fazendo muita força. Ela está recebendo muitas mensagens para que se recupere e tenha a mente forte”, declarou.

A equipe médica que está cuidando de Lais informou que ela será transferida para o Brasil para dar sequência à recuperação assim que estiver completamente estável clinicamente.