Melhor goleiro da Copa de 54, Grocics morre aos 88 anos na Hungria

  • Por EFE
  • 13/06/2014 09h31
Gyula Grosics morre aos 88 anos na Hungria

Campeão olímpico em 1952 e melhor goleiro da Copa do Mundo de 1954, o húngaro Gyula Grosics morreu nesta sexta-feira aos 88 anos de idade, divulgou a agência de notícias MTI, de acordo com informações repassadas pela própria família do ex-jogador.

Companheiro de Puskas, Czibor e Kocsis, em time que virou sensação do futebol mundial, Grosics ganhou apelido de “Pantera Negra”, pela agilidade que tinha e pela cor do uniforme que usava.

O húngaro conquistou o ouro nos Jogos Olímpicos de 1952, realizados em Helsinque, e foi vice-campeão da Copa disputada dois anos depois, na Suíça. Ao término da competição, Grosics foi eleito o melhor goleiro da competição, entrando na seleção ideal do Mundial.

Depois disso, com menos sucesso, o goleiro ainda disputou as Copas de 1958 e 1962. Entre clubes, o período de maior glória foi no Honvéd, entre 1950 e 1957, depois de transferiu para o FC Tatabánya, que defendeu por cinco anos, para depois virar técnico.

O último time como atleta foi também o primeiro na função de comando. Entre 1966 e 1968, o melhor goleiro da Copa de 54 treinou a seleção Kuwait, no último trabalho da carreira.

O ex-goleiro foi hospitalizado em 2008, por causa de uma perfuração no pulmão, o que obrigou cuidados constantes até o fim da vida. Ontem, Grosics foi internado, por motivos que não foram divulgados. A morte aconteceu nesta sexta-feira por volta de meio-dia (horário local).

Com a morte do Pantera Negra, o único jogador vivo da lendária seleção húngara que brilhou na década de 50 é o ex-lateral direito Jenö Buzánszky. EFE