Mera coincidência? Aos 40 anos, Totti tem tudo a ver com o Brasil de hoje

  • Por Jovem Pan
  • 27/09/2016 12h36

Totti marcou o gol de empate da Roma e tornou-se o jogador mais velho a marcar gol na Liga dos Campeões

Totti comemora gol de empate da Roma contra o Chelsea

Nesta terça-feira, 27 de setembro, um dos maiores craques da história do futebol italiano, Francesco Totti completa 40 anos, sendo 23 deles como jogador profissional, atuando apenas pela Roma.

Ao longo destes 23 anos, Totti conquistou um Campeonato Italiano, duas Copas da Itália, duas Supercopa da Itália, além da Copa do Mundo de 2006 com a seleção italiana. Não bastasse, o camisa 10 também coleciona recordes, como o de segundo maior artilheiro do Campeonato Italiano, alcançado no último domingo, com 250 gols marcados somente na Série A.

Apesar do longo caminho percorrido nestas duas décadas, o ano de 1993, quando Totti estreou como profissional, tem muitas semelhanças com o ano de 2016, quando ele completa 40 anos. A Jovem Pan Online preparou uma lista com cinco coisas que eram bem parecidas com a realidade de hoje no ano da estreia de Totti.

O Brasil sofria nas Eliminatórias

Assim como em 2016, a Seleção Brasileira de 1993 também amargava um jejum de títulos de Copa do Mundo, uma recente decepção na Copa América e via ameaçada sua classificação para o Mundial. Se a esperança e o clamor popular desta vez estão na figura de Tite, naquele ano o que salvou o Brasil de ficar fora da Copa foi Romário. O baixinho, que jogava no mesmo Barcelona em que hoje atua Neymar, era rejeitado nas convocações por criticar o técnico Parreira, porém a lesão de Muller o colocou de volta no time. Romário deu a classificação para o Brasil ao marcar dois gols na vitória em cima do Uruguai em pleno Maracanã. 

O que aconteceu depois na Copa do Mundo de 1994 todo mundo sabe.


A novela das 20h também era de Benedito Ruy Barbosa

Assim como Velho Chico, que se encerra nesta semana, a grande novela das 20h daquele ano também contava com a assinatura de Benedito Ruy Barbosa. As semelhanças entre Renascer, sucesso em 1993, e a trama no Rio São Francisco não ficam somente na autoria da história. Renascer também se passava no Nordeste (em Ilhéus, na Bahia), foi dividida em duas fases e tinha Antônio Fagundes como um coronel.

O Brasil era governado por um vice

A realidade política do Brasil de 2016 não era muito diferente do cenário de 1993. Itamar Franco, assim como Michel Temer, se tornou presidente após assumir interinamente o País graças a um processo de impeachment (com a diferença de que Collor pediu renúncia antes do processo chegar ao fim). Diferente de Temer foi o modo como Itamar enfrentou a crise econômica, implantando o “plano real”, embrião da moeda que circula até hoje.

O Palmeiras era líder do Campeonato Brasileiro

O Palmeiras de 1993 também foi líder do Campeonato Brasileiro, assim como tem sido em 2016. O clube passava por um jejum de 16 anos de títulos, superado com a conquista do Paulista em cima do Corinthians, porém a fila na principal competição nacional já era de 20 anos, com o último título até então conquistado em 1973. O final do ano de 1993 foi feliz para o torcedor alviverde. Se 2016, cujo jejum já atinge 22 anos, também será, ainda faltam 11 rodadas para descobrir.

Bônus internacional: o sobrenome Clinton na política norte-americana

O “fator Totti” não interfere somente no Brasil. Em 1993, o democrata Bill Clinton tomava posse do seu primeiro mandato como presidente dos Estados Unidos. Vinte e três anos depois, é a vez da sua esposa, Hillary Clinton, tentar voltar à Casa Branca, mas não como primeira-dama desta vez. Hillary disputa a presidência norte-americana com Donald Trump, que em 1993 era notícia no país pelo seu casamento com Marla Maples e pelo nascimento de sua filha, Tiffany.