Messi afirma que não deixará seleção argentina: “vamos seguir lutando”

  • Por Lancepress
  • 09/09/2015 14h05
Pai de Messi pode ser preso na Espanha por fraude fiscal

Após o empate em 2 a 2 contra o México, na madrugada desta quarta-feira, em Dallas, nos Estados Unidos, Lionel Messi afirmou que não há a menor possibilidade de ele recusa alguma convocação e deixar de atuar pela seleção da Argentina. Autor de um dos gols da equipe diante dos mexicanos – o 49º dele com a camisa argentina – o atacante garantiu que continuar defendendo a seleção até o fim da carreira.

“Enquanto o técnico quiser, vou estar sempre. Nunca vou dizer que não. Apesar de toda decepção que tivemos por não termos conseguido títulos em todo esse tempo, chegamos muito perto e temos objetivos. Teremos outras oportunidades e vamos seguir lutando”, afirmou Messi, em entrevista ao canal de TV “TyC Sports”.

Vice-campeão da Copa do Mundo de 2014, realizada no Brasil, e também na Copa América deste ano, disputada no Chile, Messi admitiu ter chorado pela derrota na competição sul-americana, após a decisão da competição, perdida para o Chile, nos pênaltis. Messi admite que os resultados na seleção estão aquém do esperado, porém, afirma que o trabalho tem sido bem feito.

“Estava convencido de que era o momento, que íamos ser campeões (na Copa América), pela forma como chegamos, pelo grupo, e foi um golpe duro para todos. Estivemos em duas finais em anos seguidos, o que não é fácil. Lamentavelmente, não conseguimos ganhar, mas temos muito mérito. Óbvio que gostaríamos de levantar o troféu, mas não foi possível. Recebemos muitas críticas ruins. Apesar de não sermos campeões, temos méritos”, afirmou o atacante, de 28 anos.

Com o gol diante do México, Messi está a cinco gols de alcançar Gabriel Batistuta, maior artilheiro da história da seleção argentina. o Atacante, no entanto, garante que este não é um objetivo buscado por ele. Segundo ele, o pensamento agora está voltado para a estreia nas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2008, que acontecerá no dia 5 de outubro, contra o Equador, no Estádio Munumental Núñez, em Buenos Aires.

“Como sempre disse: se vier, vai ser algo lindo pelo que significa (a artilharia), mas há coisas mais importantes. As eliminatórias vão ser cada vez mais duras. Primeiro, vamos ver as eliminatórias. Temos que começar bem para não ficar complicado. Temos que pensar em curto prazo”, afirmou o atacante do Barcelona, quatro vezes eleito como o melhor jogador de futebol do Mundo e favorito a levar o prêmio nesta temporada.