Messi perde pênalti, mas Suárez faz dois e Barcelona vence o City

  • Por Estadão Conteúdo
  • 24/02/2015 19h08

O uruguaio Luis Suárez fez os dois gols do BarcelonaLuis Suárez comemora gol do Barcelona contra o Manchester City

Lionel Messi teve, nos pés e na cabeça, a chance de praticamente matar o confronto de oitavas de final da Liga dos Campeões. No último lance do jogo, perdeu um pênalti e ainda errou o rebote, com o gol aberto. Menos mal para ele, que, antes, Suárez havia brilhado. Tal qual na Copa do Mundo, o uruguaio balançou duas vezes as redes do inglês Joe Hart, agora na vitória do Barcelona sobre o Manchester City, por 2 a 1, na Inglaterra. Agüero marcou para os donos da casa.

O jogo teve dois tempos muito distintos. O Barça poderia ter goleado no primeiro tempo, que dominou completamente, mas praticamente só deu City na segunda etapa, mesmo quando os ingleses tinham um jogador a menos. A defesa de Hart e o cabeceio para fora de Messi, no rebote, fazem com que o City precise vencer apenas por 1 a 0 o jogo de volta, dia 18 de março.

O jogo – Quando o Barcelona deu a saída de bola, o Manchester City iniciou a marcação pressão. Mesmo acuado, o Barça ficou com ela por quase um minuto. Era um sinal de que os espanhóis estavam preparados para a proposta dos ingleses. 

Com Rakitic e Iniesta afiados, a bola chegava com regularidade ao trio sul-americano da frente. E aí, se quando um está inspirado a zaga rival sofre, com os três em grande noite, o trabalho adversário fica ainda mais complicado. 

Criando uma chance atrás da outra, o Barcelona fez dois gols com naturalidade. Aos 16, Messi cruzou, Kompany cortou mal e Suárez fuzilou para abrir o placar. Depois, aos 30, a bola passou por Iniesta, Messi e Alba até chegar ao uruguaio, que marcou de carrinho. 

Não fosse a má pontaria, o Barcelona poderia ter ido para o intervalo com quatro ou cinco gols de vantagem. Suárez, Messi, Neymar e até Daniel Alves perderam cara a cara com Hart. O lateral brasileiro foi quem chegou mais perto, acertando o travessão.

Na segunda etapa, entretanto, o City resolveu jogar. Com a bola no pé muita disposição, passou a pressionar o Barça e a ameaçar o gol de Ter Stegen, que fez boa partida. O alemão também contou com a ajuda de Dzeko, que cabeceou nas suas mãos ótima chance aos 4 minutos.

O gol inglês saiu aos 24 minutos, depois que Fernandinho entrou em campo no lugar de Nasri. Foi o brasileiro que rolou para David Silva, que deu um leve toque na bola para a chegada de Agüero. Entre três marcadores, o argentino se livrou e chutou forte, sem chances para Ter Stegen.

Aí, Luis Enrique começou a tomar contestáveis. Tirou o meia Raktic e fechou o time com o zagueiro Mathieu. Logo depois, Clichy foi expulso e o treinador, ao invés de mandar o Barcelona para o ataque, trocou Daniel Alves por Adriano, deixando o lateral-direito irritadíssimo ao sair. Neymar, em seguida, deu lugar a Pedro.

Mesmo com um a menos, o City continuou mandando no jogo, enquanto o Barcelona segurava a vantagem enquanto podia. Messi até chegou a marcar, mas estava impedido e o gol não valeu. No último lance o jogo, o pênalti. O argentino bateu forte, à meia altura, no canto esquerdo, mas Hart pegou. Depois, poderia fazer no rebote, com o gol aberto, mas mandou para fora.