Michael Phelps é o destaque entre os porta-bandeiras da abertura do Rio 2016

  • Por EFE
  • 05/08/2016 16h18
EFE Phelps comemora ser porta-bandeira dos EUA

O nadador americano Michael Phelps,atleta mais premiado na história dos Jogos Olímpicos com 22 medalhas, lidera é o destaque entres os porta-bandeiras para a Cerimônia de Inauguração dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, que será realizada esta noite no Maracanã.

Como é tradição, a Grécia, como berço do Olimpismo, abrirá o desfile liderada pela regatista Sofia Bekatorou. A delegação anfitriã, neste caso o Brasil, cuja porta-bandeira é Yane Marques, medalha de bronze em Londres 2012 em pentatlo moderno moderno e bicampeã pan-americana na modalidade.

À margem dos holofotes atraídos por Phelps, sobressai na lista dos porta-bandeiras, nas quais estão representados quase todos os esportes e o atletismo que conta com mais participantes, há outros ilustres atletas famosos, como os tenistas Rafael Nadal, Andy Murray e Caroline Wozniacki, que levarão as bandeiras de Espanha, Grã-Bretanha e Dinamarca, respectivamente.

O jogador de basquete da NBA Luis Scola levará a bandeira da Argentina; o rei absoluto do judô mundial, Teddy Riner, ganhará uma recompensa a mais por sua bem-sucedida carreira ao ser o porta-bandeira da França; o mesmo que acontece com a nadadora italiana Federica Pellegrini.

Shelly-Ann Fraser-Pryce, representante ilustre da grande escola jamaicana de velocistas, levará a bandeira deste país caribenho. Já a Rússia preferiu o jogador de vôlei Serguei Tetiukhin, e pela equipe de refugiados terá a honra de levar o símbolo a jovem atleta do Sudão do Sul Rose Lokonyen Nathike.

Confira a lista de porta-bandeiras da cerimônia de abertura: 

Grécia: Sofia Bekatorou (Vela)

Alemanha: Timo Boll (tênis de mesa)

Argentina: Luis Scola (basquete)

Austrália: Anna Meares (ciclismo)

Bélgica: Olivia Borlee (atletismo)

Bolívia: Ángela Castro (atletismo)

Chile: Erika Olivera (atletismo)

China: Sheng Li (esgrima)

Colômbia: Yuri Alvear (judô)

Costa Rica: Nery Brenes (atletismo)

Cuba: Mijain Núñez (luta)

R. Dominicana: Luguelín Santos (atletismo)

El Salvador: Lilian Castro (tiro)

Equador: Estefanía García (judô)

Espanha: Rafael Nadal (tênis)

Estados Unidos: Michael Phelps (natação)

França: Teddy Riner (judô)

Grã-Bretanha: Andy Murray (tênis)

Guatemala: Ana Sofía Gómez (ginástica)

Honduras: Rolando Palacios (atletismo)

Itália: Federica Fellegrini (natação)

Jamaica: Shelly-Ann Fraser-Pryce (atletismo)

Japão: Kiesuke Ushiro (atletismo)

México: Daniela Campuzano (ciclismo)

Nicarágua: Rafael Antonio Lacayo (tiro)Panamá: Alonso Edward (atletismo)

Paraguai: Julieta Granada (golfe)

Peru: Francisco Boza (tiro)

Puerto Rico: Jamie Y. Espinal (luta)          

Quênia: Shehzana Anwar (tiro com arco)          

Rússia: Serguei Tetiukhin (vôlei)          

Uruguai: Dolores Moreira (vela)          

Venezuela: Rubén Limardo (esgrima)          

ROT: Rose Lokonyen Nathike (atletismo)          

Brasil: Yane Marques (pentatlo moderno)