Michel Bastos pede desculpas por mandar torcida tricolor se calar

  • Por Jovem Pan
  • 01/11/2015 16h21
S?O PAULO, SP, 31.10.2015 - SÃO PAULO-SPORT - Michel Bastos do São Paulo coemora gol durante partida contra o Sport em jogo válido pela 33? rodada do Campeonato Brasileiro 2015 no Estádio Cicero Pompeu de Toledo, zona sul de São Paulo, neste sábado, 31(Foto: Adriana Spaca/Brazil Photo Press/Folhapress)Michel Bastos mandou a torcida se calar após marcar o terceiro gol do São Paulo sobre o Sport

O meia Michel Bastos estava sendo vaiado durante a partida contra o Sport, neste sábado, pelo Campeonato Brasileiro. Ao marcar seu gol, o terceiro da equipe na vitória por 3 a 0, o camisa 7 não se conteve e mandou a torcida se calar ao colocar o dedo indicador em frente à boca. Neste domingo (1º), por meio de comunicado oficial, ele pediu desculpas pelo gesto.

“ Quero me desculpar com o torcedor do São Paulo que se sentiu desrespeitado pelo que fiz ontem no Morumbi. Errei ao fazer o gesto de silêncio, nada justifica isso, mas foi uma reação desmedida que acabei tendo por não concordar com quem vai ao estádio vaiar a própria equipe. Já aconteceram situações parecidas anteriormente e eu consegui lidar bem, mas acabei explodindo dessa vez e tendo essa atitude que, reitero, não é a correta”, disse Michel Bastos no comunicado.

O técnico Doriva, após a partida, minimizou a atitude do meia. “A gente sabe que os nervos estão à flor da pele. Realmente não é fácil, principalmente no primeiro jogo pós eliminação. Michel não se conteve, infelizmente, mas é o que eu disse… Torcedor está chateado como nós, o bom é que a gente teve uma excelente performance com uma equipe muito qualificada”.

Confira o comunicado de Michel Bastos na íntegra:

“Quero me desculpar com o torcedor do São Paulo que se sentiu desrespeitado pelo que fiz ontem no Morumbi. Errei ao fazer o gesto de silêncio, nada justifica isso, mas foi uma reação desmedida que acabei tendo por não concordar com quem vai ao estádio vaiar a própria equipe. Já aconteceram situações parecidas anteriormente e eu consegui lidar bem, mas acabei explodindo dessa vez e tendo essa atitude que, reitero, não é a correta. Seria hipocrisia dizer que não ligo quando acontece esse tipo de situação em campo. Infelizmente não consigo, ainda mais por ter a consciência limpa de que nunca faltou empenho e comprometimento da minha parte. Mas, como falei, não foi a melhor maneira de expor meu descontentamento. Reconheço isso e peço desculpas novamente a todos que se sentiram atingidos”