“Michel Bastos será uma moeda de troca importante”, diz presidente do São Paulo

  • Por Estadão Conteúdo
  • 01/11/2016 14h34
SP - FUTEBOL/SÃO PAULO - ESPORTES - Michel Bastos durante o treino realizado pela equipe do São Paulo no CT da Barra Funda, na zona oeste da capital paulista, na manhã chuvosa desta segunda-feira, 3. 03/10/2016 - Foto: MARCELLO ZAMBRANA/AGIF/ESTADÃO CONTEÚDOMichel Bastos perdeu espaço no elenco são-paulino em 2016

O presidente do São Paulo, Carlos Augusto de Barros de Silva, o Leco, confirmou que o meia Michel Bastos não deve mais atuar no São Paulo. Questionado sobre o encerramento do ciclo do jogador, ele respondeu afirmativamente. “É possível que sim. Por causa de algumas circunstâncias. Não é o que nós desejávamos. Isso é da dinâmica do futebol”, afirmou. A confirmação foi feita nesta terça-feira após o sorteio dos grupos do Campeonato Paulista 2017.

Michel Bastos perdeu espaço no elenco são-paulino em 2016, chegou a ser perseguido pela torcida em algumas partidas e, após alguns altos e baixos, viu a situação se deteriorar de vez na semana passada. Na ocasião, foi flagrado em um torneio de pôquer e pediu liberação do treino no dia seguinte.

O presidente confirmou que ele será utilizado em futuras negociações como moeda de troca. “Ele será importante (moeda de troca). Muito importante”, afirmou o dirigente. O contrato do jogador só vence em dezembro de 2017. A última partida do meia foi no dia 5 de outubro, contra o Sport, na Ilha do Retiro.

O presidente também classificou como “inesperada” e “indesejável” a derrota para o América Mineiro por 1 a 0 nesta segunda-feira. “Uma derrota inesperada. Teremos de superar isso com uma boa performance diante do Corinthians, que será um clássico dificílimo, assim como os quatro últimos jogos”, afirmou o dirigente.