Milton Cruz reconhece Cruzeiro melhor e pede calma com time do São Paulo

  • Por Jovem Pan
  • 14/05/2015 08h07
Milton Cruz lamento momento ruim do São Paulo

Após a derrota para o Cruzeiro que eliminou o São Paulo da Libertadores, na noite da última quarta-feira (13), no Mineirão, o técnico Milton Cruz admitiu o desempenho ruim da equipe paulista. Ao analisar a desclassificação, Milton reconheceu a superioridade cruzeirense e lamentou não ter garantido a vaga na partida do Morumbi.

“Não fizemos um grande jogo, todo mundo viu. O Cruzeiro foi melhor nesse jogo. Lá (no Morumbi) fomos melhores, tivemos oportunidades de matar a classificação. Hoje deixamos a desejar, não jogamos o que vínhamos jogando. O Cruzeiro é um grande time. Fomos para os pênaltis, aí é loteria. Alguns jogadores estavam com a perna pesada e quem bateu é porque estava confiante. Quem pediu para bater é quem treinou durante a semana”, afirmou o treinador.

“O intuito era jogar marcando lá na frente como estávamos fazendo. Marcar na saída de bola. Mas hoje não conseguimos neutralizar as jogadas do Cruzeiro pelas pontas. Não conseguimos encaixar a marcação em cima dos volantes do Cruzeiro, que criaram a maioria das jogadas. Não demos um chute a gol, esse foi um ponto negativo nosso no jogo”, completou.

Milton Cruz destacou que é preciso ter calma com o time são-paulino que, segundo ele, vem fazendo bom trabalho e pode conseguir bons resultados nesse ano: “agora é hora de ter calma. Não é porque foi eliminado que o elenco é ruim, que o time não tem qualidade. Temos condições de fazer um bom papel no Campeonato Brasileiro. Já ficamos fora da Libertadores em outras ocasiões e fomos campeões brasileiros”, disse.

Questionado sobre a continuidade de seu trabalho como treinador, Milton Cruz se colocou à disposição da diretoria e disse ter o aval da família para permanecer no cargo: “deixo na mão da diretoria. Quero seguir trabalhando no São Paulo. Tenho que conversar com minha família, sempre converso, não tomo decisões sozinho. Meus filhos liberaram, se eu quiser ser treinador eu posso. Mas, tem que ter calma para pensar Sei que estou fazendo um bom trabalho, a diretoria aprova”, afirmou o técnico que permanece como interiro desde a saída de Muricy Ramalho.