Ministro do TCU analisa preparação do Rio 2016 e destaca: “temos preocupações”

  • Por Jovem Pan
  • 06/08/2015 12h13
Obras do Parque Olímpico seguem em bom ritmo: seis arenas serão entregues este ano

Restando menos de um ano para o início dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro 2016, as obras em toda a cidade maravilhosa se intensificam e, assim como aconteceu com a Copa do Mundo de 2014, alguns atrasos preocupam quem acompanha a preparação da capital carioca. Em entrevista ao repórter Wanderley Nogueira, da Rádio Jovem Pan, o ministro do Tribunal de Contas da União, Augusto Nardes, destacou o papel fiscalizador do TCU que acompanha de perto a montagem do Rio e se mostrou receoso com relação a alguns pontos importantes.

“Estamos muito preocupados com a questão da estrutura toda que está sendo montada, estamos fazendo o acompanhamento. Já determinei fazer auditorias em várias áreas, principalmente na infraestrutura, mas também na área de segurança publica, e, além disso, na parte de recepção que são aeroportos e portos, na avaliação da administração dos jogos, avaliação também do legado esportivo, da infraestrutura que vai ser muito positivo ara o rio de janeiro se tudo ficar pronto”, comentou o ministro.

Nardes destacou os atrasos em algumas obras e ressaltou que determinados pontos da preparação carioca o preocupam muito nesse momento.

“Temos preocupações com algumas áreas. A energia elétrica nos preocupa porque os transformados que tinham que ser comprados, até agora não temos notícia para dar uma boa estrutura de iluminação, e há preocupação com relação a esse item. E estamos preocupados com algumas questões que estavam para serem feitas e não foram realizadas como o porto, a despoluição da baía de Guanabara que não serão feitas da forma prometida”, analisou.

“Alguns esportes que estão com pequenos atrasos e estamos de olho para que não haja atrasos maiores”, completou o ministro do TCU.

O ministro do TCU ainda comparou a preparação brasileira para a Copa do Mundo de 2014 em que, segundo ele, o TCU evitou o sobre preço de R$ 800 milhões nas obras, com a montagem do Rio para 2016 em que, de acordo com Nardes, o custos estão controlados.

“O que tem de positivo em relação à Copa, é que até agora não caracterizamos nas nossas auditorias um sobre preço elevado nos Jogos Olímpicos”, explicou.

Nardes destacou o papel do TCU em um grande evento como as Olimpíadas e ainda destacou que uma preparação com investimento tão altos tem que trazer retorno ao país.

“Estamos investindo quase R$ 40 bilhões, é muito dinheiro. Boa parte é publico, outra é privada, mas é da nação brasileira. E queremos saber se isso está sendo aplicado e forma eficiente, que dê retorno para a sociedade. A decisão de fazer os jogos foi do governo, e cabe ao tribunal e contas ver se esse dinheiro está bem aplicado”, destacou Nardes.