Ministro lamenta criticas de Ronaldo sobre Copa: “Não passaremos vergonha”

  • Por Jovem Pan
  • 05/06/2014 12h11
SÃO PAULO, SP, 29.05.2014: COPA/RONALDO/SP - Ronaldo Luís Nazário de Lima (Ronaldo Fenômeno), ex-atacante da seleção brasileira e membro do conselho de administração do Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo da Fifa, durante sabatina da Folha de S. Paulo, nesta quinta-feira (29), às 16h, no Teatro Folha, no bairro de Higienópolis, em São Paulo. (Foto: Carla Carniel/Frame/Folhapress)Ronaldo diz que Fifa ficará traumatizada com atrasos no Brasil

Membro ativo do Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo deste ano, o ex-jogador Ronaldo surpreendeu ao adotar postura critica ao processo de construção de obras de infraestrutura e estádios para o torneio. E, em entrevista concedida a Rádio Jovem Pan, nesta quinta-feira, o Ministro-Chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, rebateu as afirmações do ex-atleta.

“Eu lamento a posição do Ronaldo, pois ele acompanhou todo esse processo. Ninguém passará vergonha. Estou tendo notícias entusiasmadas de turistas da América Latina que virão para cá. É necessário separar política e Copa do Mundo. Causaremos a impressão que sempre deixamos: um povo pacífico e que recebe de braços abertos aqueles que aqui chegam”, respondeu o político.

Programada para ocorrer entre os próximos dias 12 de junho e 13 de julho, a Copa do Mundo deste ano será sediada em 12 cidades nacionais: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Porto Alegre, Brasília, Curitiba, Natal, Fortaleza, Recife, Cuiabá e Manaus. Entretanto, a sete dias do início do torneio, as capitais seguem apresentando problema de infraestrutura, como deficiências em aeroportos e vias de acesso aos estádios.

“Eu posso garantir que tudo que é necessário para a chegada dos turistas ficará pronto. O Brasil não passará vergonha. Quero dizer em alto e bom som que teremos orgulho e ofereceremos obras de alto padrão em aeroportos, assim como há em São Paulo e Brasília. Os atrasos são em obras de infraestrutura que foram antecipadas para Copa, e não programadas especificamente para o torneio”, completou o ministro.

Ao todo, as seleções de 32 países marcarão presença na competição realizada em território brasileiro. A Europa, com 13 representantes, é o continente com maior participação no torneio, que tem a Espanha como atual vencedora e o Brasil como maior campeão, com cinco títulos.