Modelo nas horas vagas, pivô do Osasco revela brincadeiras em quadra e “propostas indecentes”

  • Por Jovem Pan
  • 12/08/2015 12h07
Aos 32 anos

Conciliar a vida de atleta com outra carreira paralela não é missão fácil. Imagine, então, se dedicar a três segmentos diferentes. É o que faz Thiago Labbate, pivô da equipe de basquete de Osasco, estudante de educação física e modelo nas horas vagas. Em entrevista ao repórter Fredy Junior, da rádio Jovem Pan, Labbate comentou o trabalho como modelo e destacou o desejo de crescer com o Basquete Osasco que disputará a liga de acesso do NBB.

“Fui jogar no México, fui todo barbudo, cinco meses sem fazer a barba por uma promessa. E lá, o filho do dono do time tinha uma revista, quando tirei a barba, ele me chamou para desfilar, tirar umas fotos e vi que poderia fazer isso. Melhorou minha autoestima, vim para o Brasil, em Sorocaba cheguei a fazer umas fotos e quando vim para São Paulo que me dediquei mais a isso”, comentou o pivô recordando o início na vida de modelo.

“O basquete toma muito tempo, mas de vez em quando, em folga, aparece um teste. É difícil passar, mas as vezes passo, já fiz comerciais, revistas. Fiz vários eventos em São Paulo. É um hobby na verdade. Gosto de tirar fotos, eu me acho bonito – a gente tem que se achar bonito, se não, quem vai achar, né?! -. Minha profissão é o basquete, também faço educação física e esse negócio de modelo fica para quando aparece oportunidade”, explicou o jogador de 2,08 m de altura.

Thiago ainda destacou momentos engraçados que vive nas quadras por conta da carreira como modelo e revelou que já chegou até a receber propostas para programas.

“Tiro uma foto com uma cara mais sexy, os companheiros já vem com brincadeirinhas, dizem que sou gay, mas levo na esportiva. Tenho namorada, faço isso por hobby. Eu tenho uma fantasia de superman, já fiz cenas de vídeo, festa de criança, e já aconteceu de, no jogo, o estar ali marcando e o cara falar ‘cuidado que é o superman que está te marcando’”, afirmou.

“Faço tudo sem denegrir minha imagem. Já fui chamado para fazer fotos pornográficas, sair com pessoas, e isso nem penso em fazer. Nesse meio, aparecem muitas propostas indecentes”, explicou.

Depois de um período defendendo o Paulistano, onde chegou à final do NBB e acabou com o vice-campeonato, Thiago deixou a equipe da capital paulista para embarcar em um novo projeto que ele mesmo descreve como “um desafio”: defender o basquete Osasco. Com a expectativa de disputar a Liga Ouro, divisão de acesso do NBB, pela equipe da grande São Paulo, Labbate valorizou a possibilidade de entrar mais em quadra e destacou o elenco montado pelo treinador Ênio Vecchi.

“Acho que não estou dando passo atrás. No Paulistano jogava poucos minutos e aqui vou ter uma função maior no time. Pra mim é um desafio. As vezes estamos num time bom e não jogamos muitos minutos, queremos ganhar jogos mas também participar no elenco. Cada lugar tem sua vantagem. Aqui vejo esse lado de jogar bastante e temos um time muito guerreiro. O time se mata na defesa, vibra junto, é um time de homem a gente briga pelo melhor do time, para crescer, e está dando certo”, analisou o pivô de 32 anos.