Modesto desmente R. Oliveira e critica empresários: “queriam levá-lo de graça”

  • Por Jovem Pan
  • 28/02/2016 16h27
SP - FUTEBOL/SANTOS/UNIFORMES - ESPORTES - O presidente Modesto Roma Jr, apresenta os novos uniformes do Santos Futebol Clube, durante cerimônia realizada no Salão de Mármore, na Vila Belmiro, em Santos (SP), nesta terça-feira. 26/01/2016 - Foto: GUILHERME KASTNER/BRAZIL PHOTO PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO Agência Estado Segundo Modesto Roma Júnior

Depois de contratar Renato Augusto e Jadson, o Beijin Guoan tentou levar outro brasileiro: o atacante Ricardo Oliveira. A negociação se deu na última semana da janela de transferências chinesa e, diante da negativa do Santos, o artilheiro acabou não sendo contratados. Descontente, ele afirmou em comunicado que seu clube tinha perdido a chance de ganhar milhões com seu passe. No entanto, segundo contou o presidente Modesto Roma Junior em entrevista a Marcio Spimpolo e Flávio Prado, da Rádio Jovem Pan, não é bem assim.

“Os empresários do Ricardo queriam que o Santos liberasse de graça. Depois vieram com uma proposta de 4 milhões de euros. Depois, com uma proposta a prazo de empréstimo de 2 milhões de euros por um ano e 4 milhões de euros se ele quisesse ficar. São coisas que nós não podemos aceitar. Se fosse uma proposta mais apetitosa ao clube, nós faríamos (a transferência). Mas ceder o jogador por empréstimo, ceder o jogador por nada, não é possível”, disse o mandatário.

Segundo Modesto, em nenhum momento houve uma proposta tão boa como Ricardo Oliveira afirmou em seu comunicado. “Claro que não! Se fosse isso, você achar que nós deixaríamos de fazer negócio?”, afirmou. Também não chegou ao seu conhecimento a possibilidade do jogador pagar do próprio bolso ao Peixe para liberá-lo. “Isso eu nunca ouvi. O que eu vi foi uma carta do time chinês fazendo essa oferta. O Ricardo não quis abrir não de nada. Nunca ouvi isso, em momento algum”.

Modesto ainda garantiu que não haverá mudanças no salário de Ricardo Oliveira para que aceite melhor o fato de não ter sido vendido. “O Ricardo tem contrato firmado e esse contrato vai ser respeitado. Até dezembro de 2017. Se eu quisesse, eu poderia romper o contrato? Não”, disse o cartola, antes de falar sobre sua importância. “É um jogador de Seleção Brasileira, é o artilheiro do Campeonato Brasileiro do ano passado. É um jogador que tem que ter valor. Vamos parar com eles acharem que são os donos do futebol brasileiros, vêm aqui e pegam na hora em que eles quiserem”.

Apesar de tudo, o presidente santista espera que a negociação frustrada não atrapalhe o desempenho do atacante. “O Ricardo é um profissional sério. É um homem de caráter, um homem consciente das suas obrigações. Eu não vejo esse negócio do Ricardo tirando o pé, porque é um homem de primeira linha”, disse o mandatário.