Não é só Ozil que faz “mágica”: jornal lista 9 gols que humilharam adversários

  • Por Jovem Pan
  • 02/11/2016 16h21

Ozil marcou um gol antológico pelo Arsenal na Champions League

EFE Ozil marcou um gol antológico pelo Arsenal na Champions League

Ozil não está na lista da Bola de Ouro e dificilmente conseguirá colocar o Arsenal na final desta edição da Liga dos Campeoões. Apesar disso, o gol antológico que marcou diante do Ludogorets não só pode lhe garantir o Prêmio Puskas como ficará no imaginário dos torcedores, e do goleiro que o sofreu, por muito tempo.

Ciente disso, o jornal espanhol Marca publicou uma lista de outros nove gols que, assim como o de Ozil, humilharam goleiros pelo mundo.

Messi – 2011

Agora os louros de um grande golaço pertencem ao Arsenal, mas em 2011 o time londrino foi vítima de uma pintura de Messi. O tento chegou a ser indicado ao Puskas daquele ano.

Guti – 2008

A frieza de Guti para tocar de calcanhar quando se está frente a frente com o goleiro não é coisa de amadores.

Benzema – 2007

O francês Karim Benzema tinha apenas 19 anos e brilhava no Lyon. Mesmo novo ele já era capaz de deixar o goleiro no chão deste jeito.

Kanu – 2000

Outro gunner que fez o goleiro de bobo foi Kanu, que fingiu que ia chutar na frente do defensor, mas preferiu passar direto para definir.

Raul – 1998

O torcedor vascaíno certamente se lembra do gol que tirou o título mundial da mão deles em 1998. Raul deixou dois zagueiros para trás antes de matar de vez o goleiro Germano.

Ronaldo – 1998

O goleiro Marchegiani não teve outra reação que não fosse observar Ronaldo Fenômeno, na época na Inter, pedalar na sua frente e marcar um belo gol.

Romário – 1993

O baixinho estreou em grande estilo no Barcelona. Azar para o goleiro Alberto, do Real Sociedad, que “caçou borboleta” ao tentar pegar o chute perfeito de Romário (segundo gol no vídeo abaixo).

Maradona – 1983

O que Maradona, na época no Barcelona, fez no com o goleiro Juan José foi tão bonito que até a torcida do Real Madrid teve de se render e apaludir.

Pelé – 1970

Em se tratar de humilhar goleiros, nada é mais genial do que o feito por Pelé contra o Uruguai na Copa de 1970, apesar de não ter sido finalizado em gol de fato. Driblar é fácil, mas driblar sem sequer tocar na bola é coisa de rei.