Newcastle observará jogadores que retornem da África por temor ao ebola

  • Por Agência EFE
  • 16/10/2014 16h55

O Newcastle vai ficar de olho em atletas que retornarem da África por medo do ebola

Torcedores do Newcastle

O Newcastle anunciou nesta quinta-feira que manterá sob supervisão médica os jogadores que retornam das partidas de classificação da Copa Africana de Nações para descartar qualquer contágio por ebola.

O técnico da equipe inglesa, Alan Pardew, afirmou que seria “ingênuo não se preocupar” com o retorno de jogadores da África, apesar de nenhum de seus comandados ter passado pelas áreas mais afetadas pelo surto do vírus no oeste do continente.

O marfinense Cheick Tioté se concentrou com sua seleção para jogar na República Democrática do Congo, enquanto o senegalês Papiss Cissé disputou uma partida na Tunísia.

“Traçamos uma estratégia para estarmos seguros que tanto eles como suas famílias estejam atendidos quando retornem”, disse Pardew.

O técnico do Newcastle ressaltou que os dois jogadores são essenciais para seus planos e que os serviços médicos do clube “levaram em conta os problemas que poderiam surgir”.

Por sua vez, um porta-voz da Premier League declarou à agência local “PA” que os responsáveis do Campeonato Inglês não estão “especialmente preocupados” pelo retorno de jogadores africanos à competição.

“Os jogadores estão provavelmente controlados mais de perto que qualquer outro indivíduo no país. Estão rodeados de médicos que os examinam todos os dias”, destacou esse porta-voz.

Sobre um hipotético contágio de um jogador do Campeonato Inglês, afirmou que “isso passou pela cabeça da Premier League e certamente pela dos médicos dos clubes, mas nenhum dos jogadores esteve em países afetados pelo ebola”.