No dia da volta ao lar, relembre jogos marcantes do Palmeiras na antiga casa

  • Por Bruno Bataglin/Jovem Pan
  • 18/11/2014 18h18

Em 1999 Folhapress César Sampaio

O histórico estádio Palestra Itália teve suas atividades encerradas no dia 9 de julho de 2010, uma sexta-feira, quando o Palmeiras recebeu o Boca Juniors em uma partida festiva e foi derrotado pelo placar de 2 a 0. Se a despedida do mítico palco palestrino não foi da forma que o torcedor esperava, foi no mesmo local que o Verdão fez alguns dos confrontos mais memoráveis de sua história.

Nesta quarta-feira, 19 de novembro de 2014, mais de quatro anos depois do último jogo ser disputado na antiga casa, o Allianz Parque, novo lar do clube alviverde, será inaugurado em um embate contra o Sport, válido pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Palmeiras, que luta contra o rebaixamento, está longe de estar proporcionando um centenário feliz para seu torcedor. Mesmo assim, a torcida que canta e vibra, como diz o Hino do clube, está apoiando a equipe e vai comparecer em massa a nova casa para empurrar os 11 atletas que estarão em campo.

Diante de uma data tão histórica para os palmeirenses, nada melhor do que relembrarmos cinco jogos memoráveis do antigo Palestra Itália:

Palmeiras 5 x 1 Grêmio – 2 de agosto de 1995 – quartas de final da Copa Libertadores

No jogo de volta das quartas de final da Copa Libertadores de 1995, o Palmeiras recebeu o Grêmio, no Estádio Palestra Itália, e venceu pelo placar de 5 a 1, com gols marcados por Cafu (2), Amaral, Paulo Isidoro e Mancuso. Jardel descontou para o Grêmio.

Apesar do resultado favorável para o clube alviverde, o Palmeiras acabou sendo eliminado da competição, já que havia perdido o jogo de ida, em Porto Alegre (RS), pelo placar de 5 a 0.

Palmeiras 4 x 2 Flamengo – 21 de maio de 1999 – quartas de final da Copa do Brasil

No duelo válido pelas quartas de final da Copa do Brasil de 1999, o Palmeiras superou o Flamengo pelo placar de 4 a 2. Os gols palestrinos foram marcados por Euller (2), Júnior e Oséas. Rodrigo Mendes foi o autor dos dois gols do Rubro-Negro.

Depois de perder o confronto de ida por 2 a 1, o Palmeiras contou com Euller iluminado e, depois de chegar a ficar com 2 a 1 de desvantagem no Palestra Itália, acabou vencendo o confronto por 4 a 2 e se classificou.

Palmeiras 3 x 0 River Plate – 26 de maio de 1999 – semifinal da Copa Libertadores

Na semifinal da Copa Libertadores de 99, o Palmeiras entrou em campo no seu estádio precisando da vitória para avançar à decisão do torneio continental, pois havia sido derrotado na Argentina por 1 a 0.

Contando com partida inspirada do canhoto Alex, que foi o responsável por dois gols, e com outro gol marcado por Roque Júnior, o Verdão não deu chances para o rival argentino e venceu pelo placar de 3 a 0.

Palmeiras 2 (4) x (3) 1 Deportivo Cali – 16 de junho de 1999 – final da Copa Libertadores

Na grande final, o Palmeiras não teve vida nada fácil. Após ser superado na Colômbia pelo placar de 1 a 0, o Verdão entrou em campo diante dos olhos de sua torcida bastante pressionado para faturar o primeiro título continental de sua história.

No tempo normal, aos 19 minutos do segundo tempo, Evair abriu o placar em cobrança de pênalti. Para desespero do Palmeiras, Zapata deixou tudo igual aos 24, também em cobrança de penalidade máxima. Para sorte da equipe paulista, Oséas, aos 30 minutos, fez o seu e forçou a decisão por pênaltis.

Na primeira cobrança, Zinho acertou uma pancada no travessão e o nervosismo tomou conta do Palestra Itália. Batidas depois, Bedoya também fez cobrança na trave e deu sobrevida ao Palmeiras. Para sorte do Verdão, Euller converteu a quinta cobrança e, logo depois, Zapata bateu para fora e o Alviverde Imponente conquistou a América.

Palmeiras 5 x 0 Ponte Preta – 4 de maio de 2008 – final do Campeonato Paulista

Depois de vencer a Ponte Preta, fora de casa, por 1 a 0 e ficar mais perto do título, o Palmeiras deu um verdadeiro show no Palestra Itália e goleou o time de Campinas (SP) pelo placar de 5 a 0, encerrando assim um jejum de oito anos sem títulos.

No duelo de volta na decisão, o grande destaque foi Alex Mineiro. O atacante marcou três gols palmeirenses e foi decisivo para o título. Os outros dois gols palmeirenses foram marcados por Ricardo Conceição (contra) e Valdivia.